Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar
> > Virgílio
Virgílio
Foto de Virgílio

Publius Vergilius Maro foi um dos maiores poetas da Roma Antiga, autor da Eneida, das Geórgicas e das Bucólicas.

Biografia de Virgílio

Públio Virgílio nasceu na aldeia de Andes, perto da cidade de Mântua, em 70 a.C.

Criado num ambiente modesto, recebeu em Cremona as primeiras lições, passando mais tarde para Milão e completando os estudos de retórica em Roma, onde aprendeu também filosofia. Entre os anos 42 e 39 a.C. compõe as "Bucólicas". Mais tarde escreve as "Geórgicas". Desde a.C. até à véspera da sua morte, Virgílio começou a escrever a "Eneida", que viria a ser a sua obra prima. Virgílio faleceu em 19 a.C.

Obra literária

Excepto algumas obras de atribuição duvidosa — e que, em todo o caso, são menores, porque correspondiam ao período de formação juvenil —, são três os livros que fizeram de Virgílio um dos grandes nomes da Antiguidade: as Bucólicas (Bucolica), as Geórgicas (Georgica) e a Eneida (Aeneis). A primeira destas obras, Bucólicas, foi escrita entre os anos 42 e 39 a. C., é composta por dez éclogas ou composições breves, em forma de diálogo ou narração, e trata de temas pastoris. Possivelmente, Virgílio escreveu-as em agradecimento a Octávio Augusto, que mandou restituir ao poeta a propriedade das terras de que haviam sido expropriados em favor dos veteranos de guerra (recorde-se que Virgílio provinha de uma abastada família rural de Andes, perto de Mantua, e que sempre sentiu a necessidade de viver perto da Saturem). Convém assinalar, não obstante, que a paisagem que se canta nas Bucólicas, apesar de apresentar certos aspectos reais próprios da terra natal do poeta é, antes de mais, uma paisagem de sonho, uma arcádia imaginária que desde cedo, com o passar dos séculos, se tornaria um dos lugares comuns da poesia europeia. O livro, além do mais, reflecte a influência de Teócrito, apesar de, como também se assinalou, os pastores das Bucólicas constituírem uma transposição literária de certos amigos do autor e não serem em absoluto personagens rústicas. O que pertence inteiramente ao génio de Virgílio é a rigorosa estrutura da obra e a sua secreta numerologia: cheia de implicações esótericas. A quarta écloga é particularmente célebre porque nela se canta o nascimento futuro de uma criança que mudará a face do mundo. Na Idade Média, viu-se nesta écloga a anunciação profética e misteriosa do nascimento de Cristo. As Geórgicas, que surgiram em 29 a. C., não têm nada a ver com o tema pastoril, mas com os «trabalhos do campo» (tal como indica o titulo em grego). Trata-se de um poema didáctico composto em hexametros, cuja finalidade, de acordo com a política agrária octaviana de então, é a de fomentar o gosto pela agricultura. A obra, por conseguinte, está repleta de descrições técnicas, e o seu valor científico é notável, embora Séneca, que foi um grande proprietário rural, considerasse que Virgílio «não pretendia ensinar os agricultores, mas deleitar os leitores. As Geórgicas têm como precedente Os Traóalhos e os Dias de Hesíodo, mas devem também assinalar-se outras influências como as de Arato de Sicione, Teofrasto e os tratados de Catão e Varrão. Divide-se em quatro cantos: o primeiro trata do cultivo, o segundo da arboricultura, o terceiro da pecuária e o quarto da apicultura. Do ponto de vista poético, nesta obra-prima da poesia latina, são de sublinhar as belas divagações introduzidas por Virgílio. A obra máxima de Virgílio é, sem dúvida alguma, a Eneida, epopeia da criação de Roma, que se encontra dividida em doze cantos. Foi iniciada em 29 a. C. e o poeta, no seu proverbial perfeccionismo, deixou-a inacabada ao morrer em 19 a. C. (entendia que ainda lhe faltavam três anos para terminar a obra a seu gosto) e determinou a sua destruição. Felizmente, o imperador Augusto ordenou que não se cumprissem essas disposições. A Eneida inspira-se deliberadamente na Ilíada e na Odisseia de Homero, mas o tratamento dos materiais míticos é muito diferente.

anúncio
Obra de Virgílio
Capa do livro Eneida
Ano: 1
A Eneida (Aeneis em latim) é um poema épico latino escrito por Virgílio no século I a.C.. Conta a saga de Eneias, um troiano que é salvo dos gregos em...


Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site
 
Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Saiba mais | Compreendi