Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 1: Trova Primeira

Página 2

- Guarda as tuas terras, D. Diogo Lopes, que poucas são para seguires tuas montarias; para o desporto e folgança de bom cavaleiro que és. Guarda os teus vassalos, senhor de Biscaia, que poucos são eles para te baterem a caça.

- Que dote, pois, gentil dama, vos posso eu oferecer digno de vós e de mim; que se a vossa beleza é divina, eu sou em toda a Espanha o rico-homem mais abastado?

- Rico-homem, rico-homem, o que eu te aceitara em arras coisa é de pouca valia; mas, apesar disso, não creio que mo concedas; porque é um legado de tua mãe, a rica-dona de Biscaia.

- E se eu te amasse mais que a minha mãe, porque não te cederia qualquer dos seus muitos legados?

- Então, se queres ver-me sempre ao pé de ti, não jures que farás o que dizes, mas dá-me… isso a tua palavra.

- A la fé de cavaleiro, não darei uma; darei milhentas palavras.

- Pois sabe que para eu ser tua é preciso esqueceres-te de uma coisa que a boa rica-dona te ensinava em pequenino e que, estando para morrer, ainda te recordava.

- De quê, de quê, donzela? ¬ acudiu o cavaleiro com os olhos chamejantes. ¬ De nunca dar tréguas à mouríssima, nem perdoar aos cães de Mafamede? Sou bom cristão. Guiai de ti e de mim, se és dessa raça danada!

- Não é isso, dom cavaleiro ¬ interrompeu a donzela a rir. ¬ O de que eu quero que te esqueças é do sinal-da-cruz: o que eu quero que me prometas é que nunca mais hás-de persignar-te.

- Isso agora é outra coisa ¬ replicou D. Diogo, que nos folgares e devassidões perdera o caminho do Céu. E pôs-se um pouco a cismar.

E, cismando, dizia consigo: "De quem servem benzeduras? Matarei mais duzentos mouros e darei uma herdade a Sant'law. Ela por ela. Um presente ao apóstolo e duzentas cabeças de cães de Mafamede valem bem um grosso pecado".

<< Página Anterior

pág. 2 (Capítulo 1)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Dama Pé-de-Cabra
Páginas: 27
Página atual: 2

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Trova Primeira 1
Trova Segunda 6
Trova Terceira 16
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site