Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 4: CANTO IV

Página 185
CANTO IV

 

1 - (Continua a narração do Gama ao rei de Melinde)
“Depois de procelosa tempestade,
Noturna sombra e sibilante vento,
Traz a manhã serena claridade,
Esperança de porto e salvamento;
Aparta o sol a negra escuridade,
Removendo o temor do pensamento:
Assim no Reino forte aconteceu,
Depois que o Rei Fernando faleceu.

 

2 - (Dom João I)
“Porque, se muito os nossos desejaram
Quem os danos e ofensas vá vingando
Naqueles que tão bem se aproveitaram
Do descuido remisso de Fernando,
Depois de pouco tempo o alcançaram,
Joane, sempre ilustre, alevantando
Por Rei, como de Pedro único herdeiro,
(Ainda que bastardo) verdadeiro.

 

<< Página Anterior

pág. 185 (Capítulo 4)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Os Lusíadas
Páginas: 559
Página atual: 185

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
CANTO I 1
CANTO II 55
CANTO III 113
CANTO IV 185
CANTO V 238
CANTO VI 289
CANTO VII 339
CANTO VIII 383
CANTO IX 433
CANTO X 481
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site