Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 2: Beatrice

Página 6
E o nada, que me abriu no peito e, feito imenso,
O encheu, bem como um vaso, abrindo, encheu a flor,
Há-de alagar teu peito e ser do templo incenso...
Mulher! hás-de escutar, que eu vou falar d'amor!

 


*

 

Falar d'amor?!... se ele é como uma essência,
Que nos perfuma, sem se ver de donde...
Se ele é como o sorriso da inocência,
Que inda se ignora e, p'ra sorrir, se esconde...

 

Se é o sonho das noites vaporoso,
Que anda no ar, sem que possamos vê-lo...
Se é a concha no oceano caprichoso,
Se é das ondas do mar ligeiro vê-lo...

 

Se é suspiro, que oculto se descerra,
Se escuta, mas se ignora de que banda...
Se é estrela, que manda a luz à terra,
Sem se ver de que páramos a manda...

 

<< Página Anterior

pág. 6 (Capítulo 2)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Primaveras Românticas
Páginas: 118
Página atual: 6

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Duas Palavras (Prefácio do Autor) 1
Beatrice 5
Pepa 20
Idílio Sonhado 38
Maria 45
Poesias Diversas 75
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site