Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 2: Prefácio do primeiro editor Richard Sympson

Página 3

Espero que estarás disposto a reconhecer publicamente, ainda que te o peça, que me pressionaste, constante e frequentemente, para que publicasse um relato deslavado e incorrecto de minhas viagens, com a indicação de recorrer aos serviços de algum jovem universitário de Oxford ou Cambridge para lhe dar ordem e corrigir o estilo, como o fez o meu primo Dampier, seguindo os meus conselhos, com o seu livro intitulado Viagem à Volta do Mundo. Mas não me lembro se te dei autorização para omitir tudo isto; e muito menos que se efectuassem inserções. Por conseguinte, no que respeita a estas últimas, nego ser o autor delas, especialmente, no que se refere a um parágrafo acerca de Sua Majestade a rainha Ana, de piedosíssima e gloriosa memória, a quem dediquei uma reverência e estima superiores às de qualquer outro mortal. Mas tu ou o revisor deveriam ter tido em conta que, como esta não era a minha natural inclinação, não era honesto elogiar qualquer animal da nossa natureza perante o meu amo houyhnhnm. E, além disso, este facto é completamente falso; pelo que sei, tendo permanecido em Inglaterra durante parte do reinado de Sua Majestade, a rainha, ela governou com a ajuda de um primeiro-ministro; para ser mais preciso, com a de dois consecutivamente. O primeiro foi lorde Godolphin e o segundo lorde Oxford, de modo que me fizeste dizer o que não era. De igual modo, na relação da Academia de Inventores e em diversos passos do meu discurso a meu amo houyhnhnm, omitiste, separaste ou alteraste alguns aspectos circunstanciais, de tal forma que pouco me reconheço nele como autor. Quando, faz já muito tempo, sugeri em carta algo sobre isto, tiveste a amabilidade de responder-me que tinhas medo de ofender alguém. Os que detêm o poder submetiam a imprensa a apertada vigilância e estavam inclinados, não só a interpretar, mas também a castigar qualquer coisa que tivesse um aparente significado sedicioso ou fustigante.

<< Página Anterior

pág. 3 (Capítulo 2)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro As Viagens de Gulliver
Páginas: 339
Página atual: 3

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Carta do Comandante Gulliver a seu primo Sympson 1
Prefácio do primeiro editor Richard Sympson 3
Capítulo I 8
Capítulo II 85
Capítulo III 170
Capítulo IV 249
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site