Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capa do livro Tufão de Joseph Conrad
Título: Tufão
Título: Typhoon
Ano de Edição: 1902
Páginas: 103
Sinopse:
Tufão é um clássico conto do mar baseado, provavelmente, na experiência pessoal de Joseph Conrad. Pensa-se que a história será mesmo a narração de uma situação real.
O livro descreve como o Capitão MacWhirr conduz o Nan-Shan na direção de um tufão. O capitão que, segundo Conrad, é uma personagem ficcional, encontra-se emocionalmente afastado da família e da tripulação, e recusa-se a considerar uma rota alternativa para evitar o tufão.

Sinopse da edição da Difel:
«Tufão», conta as peripécias de um cargueiro apanhado por um tufão nos mares da China. O «Nan-Shan», construído em Inglaterra para armadores siameses, parte de um porto do oriente para levar de regresso à China duzentos «coolies» que voltam à pátria com as suas economias guardadas em arcas de cânfora. O barómetro desce de uma maneira impressionante e durante a noite é colhido por um tufão de uma violência inaudita. É, mais do que a descrição física da tempestade, o estudo do comportamento da tripulação perante uma situação de crise externa que dá a este romance uma grandeza épica. Personagens como o capitão MacWhirr, o imediato Jukes e o primeiro-maquinista Rout adquirem na sua modéstia de homens que cumprem meramente o seu dever a estatura dos antigos heróis de Homero. E, o próprio navio, se torna de certo modo humano e heróico também, na sua luta desesperada contra a agressão furiosa do mar que quer destruí-lo. Tufão é uma obra-prima e, acima de tudo, uma afirmação da invencibilidade do espírito humano decidido a sair vitorioso das crises que o assediam.

Curiosidades:
Publicada noutra edição em conjunto com outras histórias em 1903
Excerto:
«A manhã estava boa, o mar oleoso ondulava sem uma chispa e havia uma estranha mancha branca e brumosa no céu, como uma auréola do Sol. A coberta da proa, atulhada de chineses, estava cheia de roupas escuras, faces amareladas e rabichos, salpicada com numerosos ombros nus, porque não havia vento e o calor apertava. »
anúncio
Os capítulos deste livro:
I 1
II 18
III 37
IV 49
V 72
VI 91
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site