Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 5: Maria

Página 46
Cuidei ser amor aquilo
E ser aquilo viver...
Oh! que sonhos que se abraçam
Quando se quer esquecer!

 

Eram fantasmas que a noite
Trouxe, e o dia já levou...
À luz d'estranha alvorada
Hoje minha alma acordou!

 

Esquecei aqueles cantos...
Só agora sei falar!
Perdoai-me esses delírios...
Só agora soube amar!

 


II

 

Amar! mas d'uns amores que têm vida...
Não serão vagos, trémulos harpejos,
Não serão só delírios e desejos
Duma douda cabeça escandecida...

 

Hão-de-se ver! e, como a luz fundida,
Penetrar o meu ser - não serão beijos
Dados no ar - delírios e desejos -
Mas amor... d'uns amores que têm vida.

 

Com eles hei-de andar no mundo: o dia
Não pode vir fundi-los nos meus braços
Como névoas ideais da fantasia.

 

<< Página Anterior

pág. 46 (Capítulo 5)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Primaveras Românticas
Páginas: 118
Página atual: 46

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Duas Palavras (Prefácio do Autor) 1
Beatrice 5
Pepa 20
Idílio Sonhado 38
Maria 45
Poesias Diversas 75
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site