Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar
> > > Página 102

Capítulo 13: Eumeu, o Feitor de Ulisses

Página 102

Toas, soldado destemido, levantou-se logo, desembaraçou-se do seu manto, e partiu, rápido. Desse modo obtive roupa em que me embrulhasse, comodamente, e pude então dormir tranquilamente até ao romper do dia. Prouvesse aos deuses que eu fosse ainda como então era, e que um dos pastores aqui presentes me desse um bom manto, preito de amizade e respeito a um homem honesto...

Mas todos me desprezam por causa destes velhos farrapos…»

Eumeu percebeu o apólogo. Mandou que dessem a Ulisses um manto forrado de lã de carneiro, embora tão bom agasalho não abundasse. Deitaram-se todos outra vez, dormiram sossegadamente, enquanto Eumeu - era a sua hora de vela - se cobria também de quentes abafes, mas para ficar de sentinela à porta da choupana, armado de arco e de setas, pronto a defender a casa e os rebanhos, dos ladrões e dos cães selvagens...

<< Página Anterior

pág. 102 (Capítulo 13)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Odisseia
Páginas: 129
Página atual: 102

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
A Odisseia 1
Telémaco e os Pretendentes 2
Calipso 8
A Tempestade 13
Nausica 19
O Cavalo de Pau 32
Polifemo e Ninguém 41
Éolo e Circe 54
Ulisses no Inferno 66
As Sereias Sila e Caribdes 75
Os Rebanhos do Sol 85
Ulisses Despede-se de Córcira 90
Eumeu, o Feitor de Ulisses 96
Telémaco Reconhece Ulisses 103
Argus, o Cão Fiel 114
Derrota dos Pretendentes, Vitória de Ulisses 118
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site