Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 1: I

Página 2

Peça desculpa,
Arrancam-lhe os olhos,
Arrancam-lhe os olhos,
Peça desculpa.

O amplo pátio de recreio fervilhava de rapazes. Todos eles gritavam e os prefeitos incitavam-nos com grandes brados. O ar da tarde era pálido e frio e, depois de cada carga e de cada embate dos jogadores, a bola de couro ensebado voava como uma pesada ave através da claridade acinzentada.

Ele conservava-se no extremo da sua linha, fora da vista do seu prefeito, fora do alcance daqueles rudes pés, fingindo correr de vez em quando. Sentia que o seu corpo era pequeno e frágil no meio do grupo de jogadores e os seus olhos lacrimejavam e via mal. O Rody Kickham não era assim: ia ser o capitão da terceira linha, diziam todos.

O Rody Kickham era bom rapaz, mas o Roche Repugnante era um nojo. O Rody Kickham tinha torresmos no seu armário e um cesto com provisões no refeitório. O Roche Repugnante tinha umas mãos enormes. Chamava ao pudim de sexta-feira «cão embrulhado num cobertor». Certo dia, tinha-lhe perguntado:

- Como é que tu te chamas?

O Stephen respondera:

- Stephen Dedalus.

O Roche Repugnante tinha dito:

- Que raio de nome é esse?

Como o Stephen não soubesse que responder-lhe, o Roche

Repugnante tinha perguntado:

- O que é que faz o teu pai?

O Stephen retorquira:

- É um gentleman.

O Roche Repugnante perguntara logo:

- É um magistrado?

Continuava a deslizar de uma ponta à outra, no limite da sua linha, fazendo pequenas corridas de vez em quando. Mas tinha as mãos azuladas de frio. Meteu-as nos bolsos laterais do fato cinzento cintado. A cintura ia de um bolso ao outro. Também se podia aplicar uma cintura a um tipo. Certo dia, um colega tinha dito ao Cantwell:

- Aplico-te uma cintura não tarda nada.

<< Página Anterior

pág. 2 (Capítulo 1)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Retrato do Artista Quando Jovem
Páginas: 273
Página atual: 2

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
I 1
II 57
III 103
IV 156
V 186
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site