Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 5: V

Página 186
V

Esvaziou a sua terceira chávena de chá aguado até à última gota e começou a mastigar as fatias de pão frito espalhadas à sua volta, olhando para a poça escura do boião. O líquido amarelado tinha escorrido como um pântano e a poça por baixo do boião trouxe-lhe à memória a água escura, cor de turfa, dos banhos de Clongowes. A caixa de cautelas de penhor, junto do seu cotovelo, acabara de ser esvaziada e ele foi passando, um a um, entre os dedos engordurados, os recibos azuis e brancos, garatujados, poidos e amarrotados, indicando os nomes dos prestamistas, Daly ou MacEvoy.

1 Par de sapatos
1 Sobretudo E.
3 Peças de roupa branca
1 Par de calças de homem

Depois, pô-las de lado e olhou pensativamente para a tampa da caixa, manchada por marcas de insectos, e perguntou, distraidamente:

- Quanto se adianta o relógio agora?

A mãe endireitou o velho despertador, que se encontrava deitado de lado no meio da consola da lareira, até o seu mostrador indicar um quarto para o meio-dia, e depois deitou-o novamente de lado.

- Uma hora e vinte e cinco minutos - disse ela. - São exactamente dez e vinte. O meu querido sabe que devia chegar a tempo às suas aulas.

- Arranje-me água para eu me lavar - disse Stephen.

- Katey, arranja água para o Stephen se lavar.

- Boody, arranja água para o Stephen se lavar.

- Não posso, tenho que me pôr a mexer para a escola. Trata tu disso, Maggy.

Quando a bacia de esmalte foi colocada sobre o lava-louças e a velha luva de banho disposta ao seu lado, Stephen consentiu que a mãe lhe esfregasse o pescoço com ela e lha introduzisse nas pregas das orelhas e nos interstícios das narinas.

- Bom, é uma tristeza - disse ela - um estudante universitário andar tão sujo que seja preciso a mãe lavá-lo.

<< Página Anterior

pág. 186 (Capítulo 5)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Retrato do Artista Quando Jovem
Páginas: 273
Página atual: 186

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
I 1
II 57
III 103
IV 156
V 186
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site