Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 11: Capítulo XI

Página 56
Capítulo XI

Quando as senhoras se retiraram depois do jantar, Elizabeth correu para perto da irmã e, agasalhando-a contra o frio, conduziu-a até a sala, onde a convalescente foi saudada pelas duas amigas com grandes demonstrações de alegria. Elizabeth nunca vira aquelas senhoras se portarem tão amavelmente como durante a hora que decorreu antes de os cavalheiros aparecerem. Sabiam conversar admiravelmente, sabiam descrever um baile com todos os detalhes, contar um episódio com graça e caçoar espirituosamente dos conhecidos. Mas, quando os cavalheiros entraram, Jane deixou de ser o centro das suas atenções. Os olhos de Miss Bingley se voltaram imediatamente para Darcy; e ela encontrou logo o que dizer. Ele se dirigiu logo para Miss Bennet, dando-lhe amavelmente os parabéns; Mr. Hurst também se inclinou ligeiramente e afirmou que estava muito contente. Mas Bingley foi o único que mostrou realmente entusiasmo e efusão. Cercou Miss Bennet de todas as atenções possíveis. Passou a primeira meia hora aumentando o fogo na lareira, para que ela não sofresse a diferença de temperatura; fê-la mudar para o outro lado da lareira, para que ficasse o mais distante possível da porta. Em seguida sentou-se a seu lado e conversou quase que exclusivamente com ela. Elizabeth, que fazia o seu trabalho no canto oposto da sala, via tudo isto com grande prazer. Depois do chá, Mr. Hurst sugeriu em vão à cunhada que fizessem uma mesa de jogo. Ela sabia que Mr. Darcy não desejava jogar. E a proposta pública de Mr. Hurst também foi rejeitada. Miss Bingley lhe assegurou que ninguém queria jogar. E o silêncio geral que acompanhou estas palavras pareceu justificá-las. Mr. Hurst não teve portanto outra coisa a fazer senão se estender num dos sofás da sala e dormir.

<< Página Anterior

pág. 56 (Capítulo 11)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Orgulho e Preconceito
Páginas: 414
Página atual: 56

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo I 1
Capítulo II 4
Capítulo III 7
Capítulo IV 13
Capítulo V 17
Capítulo VI 21
Capítulo VII 29
Capítulo VIII 36
Capítulo IX 43
Capítulo X 49
Capítulo XI 56
Capítulo XII 62
Capítulo XIII 65
Capítulo XIV 71
Capítulo XV 75
Capítulo XVI 81
Capítulo XVII 92
Capitulo XVIII 97
Capítulo XIX 114
Capítulo XX 120
Capítulo XXI 126
Capítulo XXII 133
Capítulo XXIII 139
Capítulo XXIV 145
Capítulo XXV 152
Capítulo XXVI 157
Capítulo XXVII 165
Capítulo XXVIII 170
Capítulo XXIX 175
Capítulo XXX 183
Capítulo XXXI 187
Capítulo XXXII 192
Capítulo XXXIII 197
Capítulo XXXIV 203
Capítulo XXXV 210
Capítulo XXXVI 220
Capítulo XXXVII 227
Capítulo XXXVIII 232
Capítulo XXXIX 236
Capítulo XL 241
Capítulo XLI 247
Capítulo XLII 255
Capítulo XLIII 261
Capítulo XLIV 277
Capítulo XLV 285
Capítulo XLVI 291
Capitulo XLVII 301
Capitulo XLVIII 314
Capítulo XLIX 321
Capítulo L 328
Capítulo LI 335
Capítulo LII 342
Capítulo LIII 352
Capítulo LIV 362
Capítulo LV 367
Capítulo LVI 375
Capítulo LVII 384
Capítulo LVIII 390
Capítulo LIX 398
Capítulo LX 406
Capítulo LXI 411
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site