Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 1: Capítulo 1

Página 1

É imperativo, imediatamente, enquanto estes acontecimentos fantásticos ainda estão claros na minha mente, que os registe com aquela exactidão de pormenor que o tempo pode esbater. Mas, mesmo enquanto o faço, sinto-me assombrado pela maravilha do facto de ter sido o nosso pequeno grupo de «O Mundo Perdido» - o professor Challenger, o professor Summerlee, Lorde John Roxton, e eu próprio - a passar por esta experiência surpreendente.

Quando, há alguns anos, relatei no Daily Gazette a nossa viagem notável à América do Sul, não me passou pela cabeça que voltaria a relatar uma experiência pessoal ainda mais estranha, uma experiência que é única em todos os anais humanos e que deverá salientar-se nos registos da história como um grande pico no meio dos humildes sopés que o rodeiam. O acontecimento em si será sempre maravilhoso, mas as circunstâncias que nos reuniram aos quatro na altura deste extraordinário episódio aconteceram da forma mais natural e, de facto, inevitável. Explicarei os acontecimentos que conduziram a isto o mais sucinta e claramente possível, embora esteja plenamente consciente de que quanto mais abundantes forem os pormenores de uma história deste tipo mais o leitor apreciará, pois a curiosidade do público tem sido, e continua a ser, insaciável.

Foi numa sexta-feira, dia vinte e sete de Agosto - uma data para sempre memorável na história do mundo - que eu me dirigi à redacção do meu jornal e pedi três dias de licença ao Sr. McArdle, que ainda presidia ao nosso departamento de notícias. O bom e velho escocês abanou a cabeça, coçou a cabeleira rara de cabelos ruivos, e por fim expressou a sua relutância em palavras.

- Estava a pensar, Sr. Malone, que podíamos usá-lo para um trabalho nesses dias. Estava a pensar que existe uma história que o senhor é o único homem que poderá tratar como deve ser.

- Lamento - disse eu, a tentar esconder o meu desapontamento. - Claro que, se for necessário, esquece-se o assunto. Mas o compromisso era importante e íntimo. Se eu pudesse ser dispensado...

- Bom, não me parece que possa.

<< Sinopse

pág. 1 (Capítulo 1)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Dia em que o Mundo Acabou
Páginas: 72
Página atual: 1

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 18
Capítulo 3 31
Capítulo 4 44
Capítulo 5 53
Capítulo 6 65
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site