Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 7: Capítulo 7

Página 82

Buck, ao ganhar para John Thornton mil e seiscentos dólares em cinco minutos, permitiu ao dono saldar algumas dívidas e pôr-se, com os companheiros, a caminho, em direcção a leste, à procura de uma afamada mina perdida, cuja história era tão antiga como a história do país. Muitos homens a tinham procurado; poucos a encontraram; e raros foram os que regressaram para contar a aventura.

A mina perdida estava impregnada de tragédia e envolvida em mistério. Nada se sabia do primeiro homem que a encontrara. A tradição mais remota perdia-se antes de chegar até ele. Desde o princípio que existia aí uma cabana antiga e desmoronada. Moribundos tinham jurado pela sua existência e pela da mina cujo lugar assinalava, confirmando o seu testemunho com pepitas de ouro de um quilate, até então desconhecido nas terras do Norte.

Porém, nenhum homem lhe arrancara o tesouro, e os mortos mortos estavam; por tudo isto, John Thornton, Pete e Hans, juntamente com Buck e meia dúzia de outros cães, meteram rumo a leste por um trilho desconhecido, decididos a triunfar onde outros homens e cães tão bons como eles haviam falhado. Percorreram setenta milhas Yukon acima, viraram em direcção ao rio Stewart, atravessaram Mayo e McQuestion e continuaram até ao ponto onde o Stewart forma um riacho, contornando os picos alterosos que assinalam a espinha dorsal do continente.

John Thornton pouco exigia do homem ou da natureza. Com uma pequena quantidade de sal no bolso e uma carabina nas mãos, embrenhava-se na floresta, andando por onde calhasse e durante tanto tempo quanto lhe apetecesse. Sem pressas, como os índios, caçava o jantar no decurso do dia de viagem; e se por acaso o não encontrava, como o índio continuava viagem, certo de que mais tarde ou mais cedo ele apareceria. E assim, nesta grande viagem para leste, carne fresca era a ementa habitual, munições e ferramentas constituíam a principal carga do trenó e o horário era traçado sobre o futuro ilimitado.

<< Página Anterior

pág. 82 (Capítulo 7)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O apelo da floresta
Páginas: 99
Página atual: 82

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 6 67
Capítulo 7 82
Capítulo 1 1
Capítulo 2 13
Capítulo 3 23
Capítulo 4 39
Capítulo 5 50
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site