Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 6: Capítulo IV

Página 250
Levava cinquenta homens a bordo e tinha ordens de comerciar com os índios dos mares do Sul e realizar todas as descobertas possíveis. Os patifes que contratara aliciaram os outros tripulantes e conspiraram para me fazer prisioneiro e apoderar-se do barco. Certa manhã puseram em prática os seus propósitos, irrompendo violentamente pelo meu camarote; prenderam-me de pés e mãos, ameaçando lançar-me pela amurada se oferecesse resistência. Declarei-me prisioneiro deles, submetendo-me à sua vontade. Pediram-me que o jurasse e, depois, desataram-me, ficando apenas preso por uma corrente, segura a uma das minhas pernas e à cama, e colocaram um guarda diante da porta com a arma carregada e com ordens de abater-me a tiro se procurasse fugir. Os amotinados traziam-me comida e bebida e tomaram a seu cargo o governo do barco. Pretendiam converter-se em piratas e assaltar barcos espanhóis, coisa que não podiam fazer sem mais homens. Assim, decidiram vender primeiro a carga e partir depois para Madagáscar, a fim de recrutar mais gente, já que durante o meu cativeiro morreram vários. Navegaram durante várias semanas. Comerciaram com os índios, mas desconhecia qual o rumo seguido, pois tinham-me severamente confinado ao camarote. Perante as suas frequentes ameaças, não aguardava outra coisa que ser assassinado por eles.

A 9 de Março de 1711, um tal James Welch desceu ao meu camarote e disse-me que o comandante ordenara que eu desembarcasse. Procurei em vão discutir com ele; nem sequer me comunicou o nome do novo comandante. Forçaram-me a subir para uma chalupa, permitiram que me vestisse com a melhor roupa, praticamente nova, e deram-me uma trouxa com roupa interior e um sabre como arma.

<< Página Anterior

pág. 250 (Capítulo 6)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro As Viagens de Gulliver
Páginas: 339
Página atual: 250

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Carta do Comandante Gulliver a seu primo Sympson 1
Prefácio do primeiro editor Richard Sympson 3
Capítulo I 8
Capítulo II 85
Capítulo III 170
Capítulo IV 249
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site