Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 7: Capítulo 7

Página 29

Reflexões importantes sobre o Bois-de-Boulogne, as carruagens de molas, Tortoni, e o café do Cartaxo. — Dos cafés em geral, e de como são o característico da civilização de um país. — O Alfageme. — Hecatombe involuntária imolada pelo A. — História do Cartaxo. — Demonstra-se como a Grã-Bretanha deveu sempre toda a sua força e toda a sua glória a Portugal. — Shakespeare e Lafitte, Milton e Chateaumargot, Nelson e o príncipe de Joinville. — Prova-se evidentemente que M. Guizot é a ruína de Albion e do Cartaxo.

VOLTAR à meia-noite do Bois-de-Boulogne — o bosque por excelência, descer, entre nuvens de poeira, o longo estádio dos Campos Elíseos, entrever, na rápida carreira, o obelisco de Luxor, as árvores das Tulherias, a coluna da praça Vandoma, a magnificência heteróclita da «Madalena», e enfim sentir parar, de uma sofreada magistral, os dois possantes ingleses que nos trouxeram quase de um fôlego até ao «boulevard de Gand»; aí entreabrir mole- mente os olhos, levantando meio corpo dos regalados coxins de seda, e dizer: «Ah! estamos em Tortoni... que delícia um sorvete com este calor!» — é seguramente, é dos prazeres maiores deste mundo, sente-se a gente viver; é meia hora de existência que vale dez anos de ser rei em qualquer outra parte do mundo.

Pois acredite-me o leitor amigo, que sei alguma coisa dos sabores e dissabores deste mundo, fie-se na minha palavra, que é de homem experimentado: o prazer de chegar por aquele modo a Tortoni, o apear da elegante caleche balançada nas mais suaves molas que fabricasse

<< Página Anterior

pág. 29 (Capítulo 7)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Viagens na minha terra
Páginas: 41
Página atual: 29

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 7
Capítulo 3 11
Capítulo 4 15
Capítulo 5 19
Capítulo 6 23
Capítulo 7 29
Capítulo 8 34
Capítulo 9 37
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site