Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 4: 4 - A História do Homem Calvo

Página 23
Capítulo IV - A História do Homem Calvo

Seguimos o indiano por um corredor sórdido, mal iluminado e pior mobilado, até que atingimos, do lado direito, uma porta que ele abriu. Um clarão de luz amarela envolveu-nos, no centro do qual estava um homem de cabeça pontiaguda, circundada por um tufo de cabelo ruivo a marginar o crânio calvo e brilhante que sobressaía como o cume de uma montanha entre abetos. Ao levantar-se, começou a enrolar as mãos uma na outra, ao mesmo tempo que o rosto se contraía incessantemente - ora sorrindo, ora franzindo as sobrancelhas, mas nunca, sequer por um instante, ficando sereno. A natureza dotara-o de um lábio pendente e uma fileira muito visível de dentes amarelos e irregulares, que ele tentava em vão esconder, passando constantemente a mão sobre a parte inferior do rosto. Apesar da calvice evidente, dava a impressão de ser jovem. De facto, tinha apenas trinta anos.

- Um seu servo, Menina Morstan - não parava de repetir com voz fina, aguda. - Um vosso servo, cavalheiros.

Façam o favor de entrar no meu pequeno aposento privado. Uma sala acanhada, mas mobilada a meu gosto. Um oásis artístico no gritante deserto do sul de Londres.

Todos ficámos espantados com o aspecto da sala para a qual nos convidara a entrar. Naquela triste casa, parecia tão deslocada como um diamante de primeira água num suporte de lata. Ricas e vistosas cortinas e tapeçarias cobriam as paredes, vendo-se aqui e ali uma pintura ricamente emoldurada ou um jarrão oriental. A carpeta era cor de âmbar e preta, tão macia e espessa que os pés se afundavam agradavelmente como se estivessem em cima de uma cama de musgo. Duas grandes peles de tigre sobre a carpeta e um enorme narguilé, que estava sobre uma esteira a um canto, aumentavam a sugestão de luxo oriental.

<< Página Anterior

pág. 23 (Capítulo 4)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Sinal dos Quatro
Páginas: 133
Página atual: 23

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
1 - A Ciência da Dedução 1
2 - A Exposição do Caso 11
3 - À Procura de uma Solução 17
4 - A História do Homem Calvo 23
5 - A Tragédia de Pondicherry Lodge 36
6 - Sherlock Holmes Faz Uma Demonstração 44
7 - O Episódio do Barril 54
8 - O Bando de Baker Street 67
9 - Uma Quebra na Sequência 78
10 - O Fim do Homem da Ilha 89
11 - O Grande Tesouro de Agra 99
12 - A Estranha História de Jonathan Small 106
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site