Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 9: 9 - Uma Quebra na Sequência

Página 78
Capítulo IX – Uma Quebra na Sequência

A tarde ia já avançada quando acordei. Sentia-me fresco e recomposto. Sherlock Holmes, com o violino pousado a seu lado, continuava sentado no mesmo sítio, embrenhado num livro. Quando olhou para mim vi-lhe no rosto uma sombra de preocupação.

- Dormiu profundamente - observou. - Receei que a nossa conversa o acordasse.

- Não ouvi nada - retorqui. - Chegaram notícias?

- Infelizmente, não. Confesso que estou surpreendido e desapontado. A esta hora esperava já saber qualquer coisa. Wiggins esteve cá. Disse que não conseguiram encontrar a lancha. É uma situação exasperante, pois cada hora que passa é importante.

- Posso fazer alguma coisa? Agora estou fresco e pronto para outra noite em claro.

- Não, não podemos fazer nada. Resta-nos esperar. Se sairmos, pode chegar alguma mensagem na nossa ausência, o que provocaria atrasos. Faça o que quiser; eu tenho de ficar aqui à espera.

- Então vou até Camberwell falar com a Sr.ª Cecil Forrester. Ontem ela pediu-me que a mantivesse informada.

- Falar com a Sr.ª Cecil Forrester? - perguntou Holmes, com um subtil sorriso no olhar.

- Bem, claro que com a Menina Morstan também. Estavam ansiosas por saber o que tinha acontecido.

- Eu não lhes contaria grande coisa - disse Holmes. - Nunca se pode confiar inteiramente nas mulheres, nem nas melhores de entre elas.

Não quis perder tempo a contestar esta opinião atroz e disse:

- Volto daqui a uma ou duas horas.

- Está bem! Boa sorte! Mas, já que vai atravessar o rio, podia entregar o Toby. Parece que não vamos precisar mais dele.

Levei o cão e, entregando meio soberano, deixei-o na casa do velho naturalista, em Pinchin Lane. Em Camberwell fui encontrar a Menina Morstan um pouco fatigada, devido às aventuras daquela noite, mas muito ansiosa por saber novidades.

<< Página Anterior

pág. 78 (Capítulo 9)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Sinal dos Quatro
Páginas: 133
Página atual: 78

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
1 - A Ciência da Dedução 1
2 - A Exposição do Caso 11
3 - À Procura de uma Solução 17
4 - A História do Homem Calvo 23
5 - A Tragédia de Pondicherry Lodge 36
6 - Sherlock Holmes Faz Uma Demonstração 44
7 - O Episódio do Barril 54
8 - O Bando de Baker Street 67
9 - Uma Quebra na Sequência 78
10 - O Fim do Homem da Ilha 89
11 - O Grande Tesouro de Agra 99
12 - A Estranha História de Jonathan Small 106
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site