Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 6: 6 - Sherlock Holmes Faz Uma Demonstração

Página 45

Olhei pela janela aberta. O luar brilhava ainda sobre aquela parte da casa. Estávamos a uns dezoito metros acima do chão, e, para onde quer que olhasse, não conseguia ver qualquer apoio para os pés, nem sequer uma fenda nos tijolos.

- É absolutamente impossível - respondi.

- Sem ajuda é impossível. Mas suponha que um amigo seu lhe lançava daqui de cima a grossa corda que está naquele canto, atando uma das pontas a este gancho na parede. Então, julgo que bastaria ter alguma força para subir, mesmo com uma perna de pau. Sairia, claro, da mesma maneira, e o seu cúmplice recolheria a corda, desprendê-la-ia do gancho, fecharia a janela por dentro e iria embora do mesmo modo como entrara. Podemos também verificar - prosseguiu, apalpando a corda - que o nosso amigo da perna de pau, embora fosse um bom trepador, não era um marinheiro profissional. Não tinha as mãos calejadas. A minha lupa revelou mais do que uma marca de sangue, especialmente junto à extremidade da corda, o que me leva a concluir ter ele escorregado com tal velocidade que arrancou a pele das mãos.

- Está tudo muito bem - retorqui -, mas assim o caso torna-se ainda mais incompreensível. Como entrou esse misterioso cúmplice no quarto?

- Sim, o cúmplice! - repetiu Holmes pensativamente. - Há aspectos interessantes acerca desse cúmplice. O facto de ele existir retira ao caso a sua banalidade. Creio que este cúmplice torna o caso inédito nos anais do crime neste país, embora tenha conhecimento de casos semelhantes na Índia e, se bem me recordo, na Senegâmbia.

- Como entrou ele, então? - perguntei novamente. - A porta estava fechada; a janela era inacessível. Veio pela chaminé?

- O tubo é muito pequeno - respondeu. - Já tinha pensado nessa possibilidade.

- Então, como foi? - insisti.

<< Página Anterior

pág. 45 (Capítulo 6)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Sinal dos Quatro
Páginas: 133
Página atual: 45

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
1 - A Ciência da Dedução 1
2 - A Exposição do Caso 11
3 - À Procura de uma Solução 17
4 - A História do Homem Calvo 23
5 - A Tragédia de Pondicherry Lodge 36
6 - Sherlock Holmes Faz Uma Demonstração 44
7 - O Episódio do Barril 54
8 - O Bando de Baker Street 67
9 - Uma Quebra na Sequência 78
10 - O Fim do Homem da Ilha 89
11 - O Grande Tesouro de Agra 99
12 - A Estranha História de Jonathan Small 106
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site