Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 2: Capítulo 2

Página 10
maneiras finas. Tratava com os maiores cuidados o seu cabelo louro e sedoso e o bigode, e usava um pouco de perfume discreto no lenço. As meias-luas das suas unhas eram perfeitas e, quando ria, mostrava uma fieira de dentes brancos de criança.

Enquanto estava sentado à sua escrivaninha, em King's Inns, pensava nas mudanças que aqueles oito anos tinham trazido. O amigo que ele conhecera pobre e necessitado tornara-se uma figura brilhante da imprensa londrina. Voltava-se de quando em quando do seu cansativo trabalho, para olhar para fora através da janela do escritório. O brilho de um pôr de sol de Outono cobria os canteiros relvados e os passeios, tomava uns tons de poeira dourada sobre as misses e os decrépitos velhos que estavam sentados nos bancos, corria por todas as figuras que se moviam - pelas crianças que gritavam, correndo ao longo da relva, e por todos os que passavam no jardim. Chandler olhava o espectáculo e pensava na vida; e, como sempre acontecia quando pensava na vida, tornava-se triste. Uma doce melancolia tomava conta dele e sentia como era inútil lutar contra a sorte.

Lembrou-se dos livros de poesias que se encontravam nas prateleiras da sua casa. Tinha-os comprado nos seus tempos de solteiro e, no decorrer de muitos serões,

<< Página Anterior

pág. 10 (Capítulo 2)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Gente de Dublin
Páginas: 117
Página atual: 10

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 9
Capítulo 3 30
Capítulo 4 36
Capítulo 5 52
Capítulo 6 58
Capítulo 7 63
Capítulo 8 69
Capítulo 9 78
Capítulo 10 86
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site