Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 3: Capítulo 3

Página 35
Nos últimos lanços passou por Jack Mooney que vinha da copa com duas garrafas de cerveja nos braços. Cumprimentaram-se friamente; e os olhos do apaixonado pousaram, por um instante, na cara de buldogue e nos braços fortíssimos do outro. Quando chegou ao fundo da escada, voltou-se e viu que Jack o olhava lá de cima.

De repente, lembrou-se de uma noite em que uma das artistas do music-hall, uma loirita de Londres, fizera uma alusão desagradável a respeito de Polly. A reunião quase tinha acabado por causa da fúria de Jack.

Todos tiveram de o sossegar. A rapariga do music-hall, um pouco mais pálida do que de costume, continuava a sorrir e dissera que não havia maldade naquilo. Mas Jack continuava a gritar que se qualquer rapaz se metesse com a irmã, ele ferrar-lhe-ia os dentes na garganta...

Polly deixou-se ficar, durante um bocadinho, em cima da cama, a chorar. Depois, enxugou as lágrimas e foi ver-se ao espelho. Molhou uma ponta da toalha no jarro de água e refrescou os olhos. Viu-se também de perfil e arranjou um gancho do cabelo que estava a cair, ao pé da orelha.

Em seguida, voltou de novo para a cama e sentou-se. Olhou por um bocado as almofadas, e isso acordou nela lembranças secretas e agradáveis. Deixou cair o pescoço contra o ferro fresco da cama e começou a sonhar. Já não se notava perturbação alguma no seu rosto.

Ficou esperando, pacientemente, quase satisfeita, sem nenhum alarme; os seus pensamentos traziam-lhe gradualmente esperanças e visões para o futuro. As esperanças e as visões eram de tal modo intrincadas, que já não via claro nem se lembrava de que estava esperando alguma coisa.

Por fim, ouviu sua mãe chamar, Pôs-se de pé rapidamente e correu para as escadas.

- Polly! Polly!

- Que é, mamã?

- Vem cá abaixo, querida. Mr. Doran quer falar contigo.

E então ela lembrou-se do que estava à espera.

<< Página Anterior

pág. 35 (Capítulo 3)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Gente de Dublin
Páginas: 117
Página atual: 35

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 9
Capítulo 3 30
Capítulo 4 36
Capítulo 5 52
Capítulo 6 58
Capítulo 7 63
Capítulo 8 69
Capítulo 9 78
Capítulo 10 86
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site