Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 2: O CASO DE LADY SANNOX

Página 24
Sou negociante de curiosidades, compreende, e por isso é que vim a Inglaterra, de Esmirna... Mas na próxima semana, volto para lá. Trouxe muitas coisas comigo, e restam-me alguns objectos, entre os quais, infelizmente, um desses punhais.

- Devo recordar-lhe que tenho um encontro, senhor - disse o cirurgião algo irritado. - Peço-lhe que se limite aos pormenores indispensáveis.

- Vai ver que é necessário. Hoje a minha mulher sentiu uma fraqueza no quarto onde guardo as minhas mercadorias, e cortou o lábio inferior com um destes malditos punhais dos Almóadas.

- Estou a ver - disse Douglas Stone, pondo-se de pé -, e o senhor deseja que eu faça o curativo do ferimento?

- Não, não, é pior do que isso.

- Então o que é?

- Esses punhais estão envenenados.

- Envenenados!

- Sim, e não existe homem no Oriente nem no Ocidente que possa dizer qual é o veneno e qual é o remédio. Mas tudo o que se sabe, sei-o eu, porque o meu pai fez este comércio antes de mim, e ocupámo-nos muito destas armas envenenadas.

- Quais são os sintomas?

- Sono profundo e a morte em trinta horas.

- E o senhor diz que não existe remédio. Nesse caso por que me deu esta quantia considerável?

- Nenhuma droga pode curá-la, mas a faca pode.

- E como?

- O veneno absorve-se lentamente... Mantém-se durante horas na ferida.

- Então uma lavagem poderia retirá-lo?

- Não mais do que no caso de uma mordidela de serpente. O veneno é demasiadamente subtil e demasiadamente mortal.

- Nesse caso, a incisão da ferida?

- É isso. Se fosse no dedo, cortar o dedo. É o que sempre dizia o meu pai. Mas pense no sítio onde se encontra a ferida, e pense que ela é a minha mulher... É horrível!

A frequência destas situações horríveis pode embotar a simpatia de um homem.

<< Página Anterior

pág. 24 (Capítulo 2)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Histórias Extraordinárias
Páginas: 136
Página atual: 24

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
MÃO ESCURA 1
O CASO DE LADY SANNOX 19
O PARASITA 31
O GATO DO BRASIL 89
O FUNIL DE CABEDAL 113
O QUARTO DO PESADELO 127
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site