Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 3: CANTO TERCEIRO

Página 42
CANTO TERCEIRO

Por meio destes hórridos perigos,

Destes trabalhos graves, e temores

Alcançam os que são da fama amigos

As honras imortais e graus maiores

Lusíadas

I

- «Ah! meu senhor... bem o disse eu: mal trazem

Vistas de mortos.»

- «Sossegai, amigo;

Deixai-o repoisar: sono propício

Já lhe acalmou o sangue; e mais tranquilo

D’ânimo acordará.» - Submissas vozes

Murmuravam assim em baixo acento

Junto do leito em que prostrado e plácido

Por benigno Morfeu jaz o guerreiro.

De roxas violetas se toucava

No horizonte primeiro o alvor do dia,

E a claridade ténue da arraiada,

De estreita fresta os vidros penetrando,

À morredoura luz de exausta lâmpada

Vinha juntar sua luz na humilde cela

Onde este curto diálogo passava.

II

Pranchas de escuro til, rudo lavradas,

Do aposento as paredes guarneciam.

<< Página Anterior

pág. 42 (Capítulo 3)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Camões
Páginas: 177
Página atual: 42

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
CANTO PRIMEIRO 1
CANTO SEGUNDO 28
CANTO TERCEIRO 42
CANTO QUARTO 65
CANTO QUINTO 86
CANTO SEXTO 99
CANTO SÉTIMO 111
CANTO OITAVO 131
CANTO NONO 146
CANTO DÉCIMO 161
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site