Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 10: LIVRO VIII

Página 225
Mas sem dúvida a reunir todos os géneros de desculpas para não ser comparado a César, me exponho por isso mesmo à censura de presunção, ao parecer acreditar que tal comparação possa vir ao espírito de alguém. Adeus.

I - Depois de ter vencido toda a Gália, César, que não cessara de se bater desde o Verão anterior (198) queria ver os seus soldados recompostos de tantas fadigas no lazer dos quartéis de Inverno, quando se soube que muitos Estados ao mesmo tempo recomeçavam a fazer planos de guerra e a entrar em acordo. O motivo que lhes era atribuído era verosímil; todos os Gauleses tinham reconhecido que reunindo num só ponto fosse que número de homens fosse não podiam resistir aos Romanos, mas que se vários Estados entrassem em guerra em diversos pontos ao mesmo tempo, o exército do povo romano não teria suficientes recursos nem tempo nem tropas para fazer frente a tudo; que nenhuma cidade devia recusar suportar uma prova penosa, se por tal demora as outras pudessem conquistar a sua liberdade.

II - Para não deixar que esta ideia dos Gauleses se firmasse, César entrega ao questor Marco António o comando dos seus quartéis de Inverno; ele, com uma escolta de cavalaria, parte da praça de Bibracte na véspera das Calendas de Janeiro para ir ao encontro da décima terceira legião que colocara não longe da fronteira dos Éduos no país dos Bitúriges, e ali junta a décima primeira legião, que era a mais próxima (199). Deixando duas coortes de cada uma à guarda das bagagens, leva o resto do exército aos campos mais férteis dos Bitúriges: tendo este povo um vasto território e um grande número de praças-fortes, a invernagem de uma só legião não bastara para o impedir de preparar a guerra e organizar conjuras.

III - Com a chegada súbita de César, produziu-se o que necessariamente tinha de se produzir entre gente surpreendida e dispersa: cultivando os seus campos sem desconfiança alguma, foram esmagados pela cavalaria antes de poderem refugiar-se nas suas praças-fortes.

<< Página Anterior

pág. 225 (Capítulo 10)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Guerra das Gálias
Páginas: 307
Página atual: 225

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
PREFÁCIO 1
CRONOLOGIA SUMÁRIA DA VIDA DE CÉSAR 7
LIVRO I 10
LIVRO II 47
LIVRO III 67
LIVRO IV 84
LIVRO V 105
LIVRO VI 140
LIVRO VII 167
LIVRO VIII 224
ÍNDICE HISTÓRICO E GEOGRÁFICO 256
NOTAS 299
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site