Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 2: Capítulo 2

Página 11

Nessa tarde, quando o Sr. Utterson regressou à sua casa de solteiro, sentia-se tão abatido que nem o jantar lhe reavivou o ânimo. Como era seu hábito aos domingos, depois de jantar, sentava-se junto à lareira, a ler algumas curiosidades doutrinárias, até que o relógio da igreja vizinha fizesse soar as doze badaladas da meia-noite, momento em que se ia deitar, sóbrio e saciado. Naquela noite, contudo, assim que a mesa foi levantada, pegou numa vela e dirigiu-se para o escritório. Aí, abriu o cofre e retirou de um dos seus recantos mais secretos um sobrescrito onde se lia «Testamento do Dr. Jekyll»; em seguida, de sobrolho franzido, sentou-se a estudar o seu conteúdo. Era um testamento hológrafo, já que o Sr. Utterson se recusara a prestar qualquer assistência na sua concepção, aceitando apenas a responsabilidade de o guardar, depois de redigido. O documento não só especificava que em caso de morte de Henry Jekyll - médico, jurista, membro da Royal Society, etc. - todos os seus pertences passariam para a posse do seu «amigo e benfeitor Edward Hyde», como também determinava que, em caso de «desaparecimento ou ausência inesperada do Dr. Jekyll por um período superior a três meses», o dito Edward Hyde deveria entrar imediatamente na posse dos bens, livre de quaisquer encargos e obrigações além do pagamento de algumas pequenas quantias ao pessoal doméstico ao serviço do médico. Havia muito tempo que este documento era como uma espinha atravessada na garganta de Utterson.

<< Página Anterior

pág. 11 (Capítulo 2)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde
Páginas: 102
Página atual: 11

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 11
Capítulo 3 23
Capítulo 4 26
Capítulo 5 33
Capítulo 6 40
Capítulo 7 46
Capítulo 8 48
Capítulo 9 65
Capítulo 10 76
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site