Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 4: 4 - O que John Rance Tinha para Contar

Página 32

4
O QUE JOHN RANCE TINHA PARA CONTAR

Era uma hora quando saímos do n.º 3 de Lauriston Gardens. Sherlock Holmes levou-me à estação telegráfica mais próxima de onde enviou um longo telegrama. Depois chamou um cabriolé e pediu ao cocheiro que nos conduzisse à morada que Lestrade nos dera.

- Não há nada como um testemunho em primeira mão - - comentou ele -; na realidade, já cheguei a uma conclusão em relação ao caso, mas já agora também podemos ficar a saber tudo o que é preciso saber.

- Holmes, você confunde-me - disse eu. – Certamente não está tão seguro de todos aqueles detalhes que deu quanto pretende estar.

- Não há motivo para engano - respondeu ele. - A primeira coisa que notei ao chegar, foi que um cabriolé fizera dois sulcos junto à berma com as rodas. Ora, até ontem à noite, não tivemos chuva durante uma semana, portanto aquelas rodas que deixaram umas marcas tão profundas devem ter lá estado durante a noite. Também havia marcas dos cascos do cavalo, o contorno de um era muito mais pronunciado do que os outros três, o que mostra que era uma ferradura nova. Uma vez que o cabriolé estava lá depois de começar a chover, e não estava lá a qualquer hora da manhã - Gregson deu-me a sua palavra - daqui se segue que deve ter lá estado durante a noite e, por isso, trouxe aqueles dois indivíduos até à casa.

- Isso parece bastante simples - disse eu - mas, e a altura do outro homem?

- A altura de um homem, em nove de dez casos, pode ser avaliada pelo comprimento da sua passada. É um cálculo bastante simples, embora não haja necessidade de eu o estar a incomodar com números. Descobri a passada deste homem tanto no barro no exterior como no pó dentro de casa. Depois descobri um meio de verificar os meus cálculos. Quando um homem escreve numa parede, o instinto leva-o a escrever mais ou menos ao nível dos seus próprios olhos. E aquilo estava escrito precisamente a um metro e oitenta do chão. Foi muito fácil.

<< Página Anterior

pág. 32 (Capítulo 4)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Um Estudo em Escarlate
Páginas: 127
Página atual: 32

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Primeira Parte: 1 - O Sr. Sherlock Holmes 1
2 - A Ciência da Dedução 10
3 - O Mistério de Lauriston Gardens 21
4 - O que John Rance Tinha para Contar 32
5 - O Nosso Anúncio Traz um Visitante 39
6 - Tobias Gregson Mostra o que Sabe Fazer 46
7 - Luz na Escuridão 55
Segunda Parte: 1 - Na Imensa Planície de Alcali 65
2 - A Flor de Utá 76
3 - John Ferrier Fala com o Profeta 84
4 - Uma Fuga para Salvar a Própria Vida 90
5 - Os Anjos Vingadores 100
6 - Uma Continuação das Memórias do Dr. John Watson 110
7 - A Conclusão 122
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site