Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 5: 5 - O Nosso Anúncio Traz um Visitante

Página 39

5
O NOSSO ANÚNCIO TRAZ UM VISITANTE

Os nossos esforços matinais tinham sido excessivos para a minha saúde débil, e à tarde já estava exausto. Depois de Holmes sair para o concerto, deitei-me no sofá e tentei dormir algumas horas. Foi uma tentativa vã. O meu espírito fora demasiado excitado por tudo o que acontecera e as ideias e as conjecturas mais estranhas amontoaram-se dentro dele. Sempre que fechava os olhos via à minha frente o semblante do homem assassinado, distorcido como o de um babuíno. Tão sinistra fora a impressão que aquele rosto provocara em mim que só pude sentir gratidão por quem removera do mundo o seu dono. Se alguma vez um rosto humano sugeriu o vício do tipo mais maligno, foi certamente o de Enoch J. Drebber, de Cleveland. Todavia, reconhecia que se devia fazer justiça e que a depravação da vítima não constituía uma atenuante aos olhos da lei.

Quanto mais pensava nisto mais extraordinária me parecia a hipótese do meu companheiro, de que o homem tinha sido envenenado. Recordei o modo como ele cheirara os seus lábios e tinha a certeza de que ele detectara alguma coisa que dera origem àquela ideia. Então, se não fora veneno, o que provocara a morte do homem, visto não haver ferimentos, nem sinais de estrangulamento? Mas, por outro lado, de quem era o sangue empastado que estava no chão? Não havia sinais de luta nem a vítima tinha em sua posse uma arma com que pudesse ter ferido o adversário. Enquanto todas estas questões estivessem por responder, senti que dormir não seria fácil, tanto para Holmes como para mim. A sua calma e autoconfiança convenceram-me de que já formara uma teoria que explicava todos os factos, embora, nem por instantes, eu pudesse fazer ideia do que se tratava.

Ele regressou muito tarde - tão tarde que eu sabia que o concerto não o podia ter retido todo aquele tempo. O jantar já estava na mesa antes de ele aparecer.

- Foi magnífico - disse ele, enquanto ocupava o seu lugar.

<< Página Anterior

pág. 39 (Capítulo 5)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Um Estudo em Escarlate
Páginas: 127
Página atual: 39

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Primeira Parte: 1 - O Sr. Sherlock Holmes 1
2 - A Ciência da Dedução 10
3 - O Mistério de Lauriston Gardens 21
4 - O que John Rance Tinha para Contar 32
5 - O Nosso Anúncio Traz um Visitante 39
6 - Tobias Gregson Mostra o que Sabe Fazer 46
7 - Luz na Escuridão 55
Segunda Parte: 1 - Na Imensa Planície de Alcali 65
2 - A Flor de Utá 76
3 - John Ferrier Fala com o Profeta 84
4 - Uma Fuga para Salvar a Própria Vida 90
5 - Os Anjos Vingadores 100
6 - Uma Continuação das Memórias do Dr. John Watson 110
7 - A Conclusão 122
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site