Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 9: 2 - A Flor de Utá

Página 76

2
A FLOR DE UTÁ

Este não é o lugar para solenizar os sofrimentos e privações suportados pelos imigrantes mórmones antes de terem chegado ao refúgio final. Da margem do Mississípi às encostas ocidentais das Montanhas Rochosas continuaram a lutar com uma constância quase sem paralelo na História. O homem selvagem e a fera, a fome, a sede, a fadiga e a doença - todas as dificuldades que a natureza podia colocar no caminho -, todas foram vencidas com tenacidade anglo-saxónica. No entanto, a longa viagem e os terrores acumulados abalaram os mais intrépidos. Não houve nenhum que não se pusesse de joelhos numa prece sentida quando viram o imenso vale de Utá banhado pelo sol por baixo deles e ficaram a saber pela boca do seu chefe que esta era a terra prometida, e que estes campos virgens seriam deles para sempre.

Young logo mostrou ser um administrador hábil, assim como um chefe resoluto. Foram traçados mapas e preparados gráficos, nos quais foi planeada a futura cidade.

Todas as quintas em redor foram divididas e distribuídas em proporção com a posição social de cada pessoa. O comerciante dedicou-se à sua profissão e o artesão ao seu ofício. Na cidade levantaram-se ruas e praças como por magia. No campo faziam-se drenagens e cercas, plantava-se e desbastava-se, até que o Verão seguinte viu toda a região dourada com o trigo. Tudo florescia na estranha colónia. Principalmente o enorme templo, que tinham erigido no centro da cidade, e que ia aumentando cada vez mais. Desde o primeiro raio da aurora até quase ao crepúsculo, o barulho do martelo e o ruído áspero da serra estavam sempre presentes no monumento que os imigrantes construíram para Ele, que os conduzira em segurança por muitos perigos.

Os dois desgraçados, John Ferrier e a miúda, que partilhara a sua sorte e fora adoptada como sua filha, acompanharam os mórmones até ao fim da grande peregrinação.

<< Página Anterior

pág. 76 (Capítulo 9)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Um Estudo em Escarlate
Páginas: 127
Página atual: 76

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Primeira Parte: 1 - O Sr. Sherlock Holmes 1
2 - A Ciência da Dedução 10
3 - O Mistério de Lauriston Gardens 21
4 - O que John Rance Tinha para Contar 32
5 - O Nosso Anúncio Traz um Visitante 39
6 - Tobias Gregson Mostra o que Sabe Fazer 46
7 - Luz na Escuridão 55
Segunda Parte: 1 - Na Imensa Planície de Alcali 65
2 - A Flor de Utá 76
3 - John Ferrier Fala com o Profeta 84
4 - Uma Fuga para Salvar a Própria Vida 90
5 - Os Anjos Vingadores 100
6 - Uma Continuação das Memórias do Dr. John Watson 110
7 - A Conclusão 122
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site