Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 6: Parte V

Página 16
Parte V

Vem um Sapateiro com um avantal, e carregado de formas, e chega ao batel infernal, e diz:

SAPATEIRO

Hou da barca!

DIABO

Quem vem i?

Santo sapateiro honrado!

Como vens tão carregado?

SAPATEIRO

Mandaram-me vir assi...

E pera onde é a viagem?

DIABO

Pera o lago dos danados

SAPATEIRO

Os que morrem confessados,

onde têm sua passagem?

DIABO

Nom cures de mais linguagem!

Esta é tua barca, esta!

SAPATEIRO

Arrenegaria eu da festa

e da puta da barcagem!

Como poderá isso ser,

confessado e comungado?

DIABO

E tu morreste escomungado:

nom o quiseste dizer.

Esperavas de viver;

calaste dous mil enganos.

Tu roubaste bem trint’anos

o povo com teu mester.

Embarca, eramá pera ti,

que há já muito que t’espero!

SAPATEIRO

Pois digo-te que nom quero!

DIABO

Que te pês de ir, si, si!

SAPATEIRO

Quantas missas eu ouvi,

nom me hão elas de prestar?

DIABO

Ouvir missa, então roubar –

é caminho per’aqui.

<< Página Anterior

pág. 16 (Capítulo 6)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Auto da Barca do Inferno
Páginas: 41
Página atual: 16

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Introdução de Gil Vicente 1
Parte I 2
Parte II 4
Parte III 10
Parte IV 13
Parte V 16
Parte VI 19
Parte VII 24
Parte VIII 27
Parte IX 29
Parte X 32
Parte XI 36
Parte XII 39
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site