Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 7: Parte VI

Página 19
Parte VI

Vem um Frade com ua Moça pela mão, e um broquel e ua espada na outra, e um casco debaixo do capelo; e, ele mesmo fazendo a baixa, começou de dançar, dizendo:

FRADE

Tai-rai-rai-ra-rão, ta-ri-ri-rão,

Ta-rai-rai-rai-rão, tai-ri-ri-rão,

tão-tão; ta-ri-rim-rim-rão Huha!

DIABO

Que é isso, padre? Que vai lá?

FRADE

Deo gratias! Sou cortesão.

DIABO

Sabês também o tordião?

FRADE

Porque não? Como ora sei!

DIABOPois, entrai! Eu tangerei

e faremos um serão.

Essa dama, é ela vossa?

FRADE

Por minha la tenho eu,

e sempre a tive de meu.

DIABO

Fezeste bem, que é fermosa!

E não vos punham lá grosa

no vosso convento santo?

FRADE

E eles fazem outro tanto!

DIABO

Que cousa tão preciosa!

Entrai, padre reverendo!

FRADE

Para onde levais gente?

DIABO

Pera aquele fogo ardente

que nom temestes vivendo.

<< Página Anterior

pág. 19 (Capítulo 7)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Auto da Barca do Inferno
Páginas: 41
Página atual: 19

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Introdução de Gil Vicente 1
Parte I 2
Parte II 4
Parte III 10
Parte IV 13
Parte V 16
Parte VI 19
Parte VII 24
Parte VIII 27
Parte IX 29
Parte X 32
Parte XI 36
Parte XII 39
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site