Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 11: Parte X

Página 32
Parte X

Estando o Corregedor nesta prática com o Arrais infernal, chegou um Procurador, carregado de livros, e diz o Corregedor ao Procurador:

CORREGEDOR

Ó senhor Procurador!

PROCURADOR

Bejo-vo-las mãos, Juiz!

Que diz esse arrais? Que diz?

DIABO

Que serês bom remador.

Entrai, bacharel doutor,

e irês dando na bomba.

PROCURADOR

E este barqueiro zomba.

Jogatais de zombador?

Essa gente que aí está,

pera onde a levais?

DIABO

Pera as penas infernais.

PROCURADOR

Dix! Nom vou eu pera lá!

Outro navio está cá,

690muito milhor assombrado.

DIABO

Ora estás bem aviado!

Entra, muitieramá!

CORREGEDOR

Confessaste-vos doutor?

PROCURADOR

Bacharel sou... Dou-me ò demo!

Não cuidei que era extremo,

nem de morte minha dor.

E vós, senhor

<< Página Anterior

pág. 32 (Capítulo 11)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Auto da Barca do Inferno
Páginas: 41
Página atual: 32

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Introdução de Gil Vicente 1
Parte I 2
Parte II 4
Parte III 10
Parte IV 13
Parte V 16
Parte VI 19
Parte VII 24
Parte VIII 27
Parte IX 29
Parte X 32
Parte XI 36
Parte XII 39
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site