Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 10: Capítulo 10

Página 113

Sucedeu-nos uma coisa terrível. Quem teria podido prevê-la? Já não posso assinalar um termo para as nossas provações. Estamos talvez condenados a terminar os nossos dias neste lugar estranho, inacessível. Ainda me sinto tão perturbado que mal posso reflectir nos factos actuais e nas hipóteses do futuro. Os meus sentidos agitados julgam os primeiros terrificantes e as segundas tão sombrias como o Inferno.

Ninguém nunca se encontrou em pior situação; e para que serviria revelar a nossa posição geográfica exacta ou pedir aos nossos amigos que viessem auxiliar-nos? Mesmo se se organizasse uma caravana de socorro, ela chegaria certamente demasiado tarde à América do Sul: o nosso destino estaria encerrado há muito tempo.

Com efeito, encontramo-nos tão longe de qualquer salvamento humano como se estivéssemos na Lua. Se conseguirmos vencer as dificuldades, não o ficaremos a dever senão às nossas próprias qualidades. Tenho por companheiros três homens notáveis: homens dotados de um cérebro poderoso e de uma coragem indomável. Tal é a nossa suprema esperança. É só quando fito os rostos imperturbáveis dos meus companheiros que entrevejo uma claridade na nossa noite. Exteriormente pareço tão indiferente como eles. Interiormente sinto um terror louco.

Devo comunicar-lhe, com todos os pormenores possíveis, a sucessão dos acontecimentos que determinaram esta catástrofe.

<< Página Anterior

pág. 113 (Capítulo 10)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Mundo Perdido
Páginas: 286
Página atual: 113

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 2
Capítulo 3 11
Capítulo 4 21
Capítulo 5 31
Capítulo 6 53
Capítulo 7 70
Capítulo 8 83
Capítulo 9 96
Capítulo 10 113
Capítulo 11 142
Capítulo 12 161
Capítulo 13 182
Capítulo 14 202
Capítulo 15 222
Capítulo 16 242
Capítulo 17 264
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site