Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 7: Capítulo 7

Página 70

Juntos, Lorde John Roxton e eu descemos Vigo Street e atravessámos os pórticos velhos que abrigavam uma célebre colónia de aristocratas. No extremo de um comprido corredor, o meu futuro companheiro abriu uma porta e ligou um interruptor. Várias lâmpadas cobertas por quebra-luzes coloridos banharam com uma luz avermelhada a enorme sala para onde ele me empurrou. Logo à entrada senti uma impressão extraordinária de conforto, de elegância, de virilidade: era o apartamento de um homem dotado de tanto gosto como fortuna e com uma despreocupação de solteiro. Peles ricas e estranhas esteiras adquiridas em bazares do Oriente forravam o sobrado. Havia quadros e gravuras pendurados nas paredes: a minha competência artística era medíocre, mas não me custou adivinhar que estavam ali objectos raros e de grande valor. Esboços de pugilistas, de bailarinas, de cavalos de corrida interpunham-se entre um Fragonard sensual, um Girardet marcial e um Turner de sonho. Mas, repartidos um pouco por todo o lado, numerosos troféus lembravam que Lorde John Roxton era um dos atletas completos da nossa época. Um remo azul-escuro cruzado com outro vermelho evocava as provas universitárias. Em cima e em baixo, floretes e luvas de boxe testemunhavam que este homem tinha conquistado a supremacia em esgrima e na nobre arte. À guisa de lambril em redor da sala, brotavam cabeças de animais selvagens: os mais belos espécimes do mundo!

<< Página Anterior

pág. 70 (Capítulo 7)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Mundo Perdido
Páginas: 286
Página atual: 70

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 2
Capítulo 3 11
Capítulo 4 21
Capítulo 5 31
Capítulo 6 53
Capítulo 7 70
Capítulo 8 83
Capítulo 9 96
Capítulo 10 113
Capítulo 11 142
Capítulo 12 161
Capítulo 13 182
Capítulo 14 202
Capítulo 15 222
Capítulo 16 242
Capítulo 17 264
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site