Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 5: Capítulo 5

Página 31

Mal a porta se fechou, logo Mrs. Challenger entrou na casa de jantar. Esta pacata senhora estava com um humor furioso. Barrou o caminho ao marido como o teria feito diante de um touro uma franganita enraivecida. Era evidente que tinha assistido à minha saída, mas não me vira entrar de novo.

- Não passas de um bruto, George! - gritou. - Feriste aquele rapaz amável.

Ele apontou o polegar para trás de si. - Olha para ele: está são e salvo.

Ela mostrou-se confusa, mas não demasiadamente. - Desculpe-me, não o tinha visto.

- Asseguro-lhe, minha senhora, que está tudo muito bem.

- Deixou-lhe uma marca no seu pobre rosto! Oh, George, és um grande bruto! De uma semana para a outra, só escândalos! Toda a gente te detesta e faz pouco de ti. A minha paciência está no fim. E isto é a gota de água...

- A roupa suja lava-se em família! - grunhiu o professor.

- Mas já não existe segredo! - exclamou ela. - Que julgas tu?

Toda a rua, Londres inteira... Saia, Austin, não precisamos de si aqui. Acaso supunhas que ninguém zombava de ti? Onde está a tua dignidade? Tu, um homem que deveria ser o reitor de uma grande universidade em que mil estudantes te referenciariam? Que fizestes da tua dignidade, George?

- E que fazes tu da tua, minha querida?

- Submetes-me a provas demasiadamente rudes. Um bruto, um bruto berrador e ordinário, eis o que te tornaste!

- Sê gentil, Jessie!

- Um touro furioso, um touro que muge perpetuamente!

- Acabaste de dizer-me coisas desagradáveis?

<< Página Anterior

pág. 31 (Capítulo 5)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro O Mundo Perdido
Páginas: 286
Página atual: 31

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 2
Capítulo 3 11
Capítulo 4 21
Capítulo 5 31
Capítulo 6 53
Capítulo 7 70
Capítulo 8 83
Capítulo 9 96
Capítulo 10 113
Capítulo 11 142
Capítulo 12 161
Capítulo 13 182
Capítulo 14 202
Capítulo 15 222
Capítulo 16 242
Capítulo 17 264
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site