Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 1: INTRODUÇÃO

Página 6
No último capítulo, farei uma breve recapitulação de todo o trabalho e algumas observações finais.

Ninguém se deveria sentir surpreso perante muito do que fica por explicar a respeito da origem das espécies e variedades, tendo em devida consideração a nossa profunda ignorância acerca das relações mútuas de todos os seres que vivem à nossa volta. Quem pode explicar a razão por que uma espécie tem uma distribuição ampla e é muito numerosa e outra espécie próxima tem uma distribuição mais limitada e é rara? Contudo, estas relações são da mais elevada importância, pois determinam o bem-estar presente e, segundo creio, o sucesso e modificação futuros de cada habitante deste mundo. Menos ainda sabemos acerca das relações mútuas dos inumeráveis habitantes do mundo durante as muitas épocas geológicas decorridas na sua história. Apesar da grande obscuridade que permanece e permanecerá durante muito tempo, não me restam quaisquer dúvidas, depois do estudo mais cuidadoso e do juízo mais imparcial de que sou capaz, de que a perspectiva adoptada pelos naturalistas na sua maioria, e que adoptei antes - nomeadamente, a de que cada espécie foi independentemente criada -, é errónea. Estou plenamente convencido de que as espécies não são imutáveis; pelo contrário, os membros daquilo a que chamamos «os mesmos géneros» são descendentes directos de outras espécies, geralmente extintas, da mesma maneira que as variedades reconhecidas de qualquer espécie são descendentes dessa espécie. Além disso, estou convencido de que a selecção natural tem sido o instrumento principal, embora não exclusivo, da modificação.

<< Página Anterior

pág. 6 (Capítulo 1)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Origem das Espécies
Páginas: 524
Página atual: 6

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
INTRODUÇÃO 1
CAPÍTULO I
VARIAÇÃO SOB DOMESTICAÇÃO
7
CAPÍTULO II
VARIAÇÃO EM ESTADO DE NATUREZA
49
CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA
67
CAPÍTULO IV
SELECÇÃO NATURAL
88
CAPÍTULO V
LEIS DA VARIAÇÃO
143
CAPÍTULO VI
DIFICULDADES ENFRENTADAS PELA TEORIA
184
CAPÍTULO VII
INSTINTO
223
CAPÍTULO VIII HIBRIDISMO 263
CAPÍTULO IX
SOBRE A INPERFEIÇÃO DO REGISTO GEOLÓGICO
302
CAPÍTULO X
SOBRE A SUCESSÃO GEOLÓGICA DOS SERES ORGÂNICOS
336
CAPÍTULO XI
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
372
CAPÍTULO XII
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA (continuação)
411
CAPÍTULO XIII
AFINIDADES MÚTUAS DOS SERES ORGÂNICOS. MORFOLOGIA. EMBRIOLOGIA. ÓRGÂOS RUDIMENTARES.
441
CAPÍTULO XIV
RECAPITULAÇÃO E CONCLUSÃO
491
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site