Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 2: CAPÍTULO I
VARIAÇÃO SOB DOMESTICAÇÃO

Página 7
CAPÍTULO I
VARIAÇÃO SOB DOMESTICAÇÃO

Causas da variabilidade - Efeitos do hábito - Correlação de crescimento Hereditariedade - Carácter das variedades domésticas - Dificuldade em distinguir entre variedades e espécies - Origem das variedades domésticas a partir de uma ou mais espécies - Pombos domésticos, as suas diferenças e origem - Princípio de selecção aplicado na antiguidade, os seus efeitos - Selecção metódica e inconsciente - Origem desconhecida das nossas produções domésticas - Circunstâncias favoráveis ao poder de selecção do homem.

Quando olhamos para os indivíduos da mesma variedade ou subvariedade das nossas plantas de cultivo e animais mais antigos, um dos primeiros aspectos que nos impressiona é o de estes geralmente diferirem muito mais entre si do que os indivíduos de qualquer espécie ou variedade em estado de natureza. Quando reflectimos na vasta diversidade das plantas de cultivo e animais de criação, que têm sofrido variações em todas as épocas, sob condições climáticas e tratamentos muitíssimo diferentes, penso que somos levados a concluir que esta maior variabilidade se deve simplesmente ao facto de as nossas produções domésticas terem sido criadas em condições de vida não tão uniformes como aquelas a que as espécies antecessoras estavam sujeitas em estado natural, e um tanto diferentes. Penso que há também alguma plausibilidade na perspectiva sugerida por Andrew Knight, de que esta variabilidade pode estar parcialmente ligada ao excesso de alimentos. Parece bastante claro que os seres orgânicos têm de estar expostos às novas condições de vida durante muitas gerações, para que resulte qualquer quantidade apreciável de variação; e que assim que a organização começa a variar, geralmente continua a variar durante muitas gerações.

<< Página Anterior

pág. 7 (Capítulo 2)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Origem das Espécies
Páginas: 524
Página atual: 7

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
INTRODUÇÃO 1
CAPÍTULO I
VARIAÇÃO SOB DOMESTICAÇÃO
7
CAPÍTULO II
VARIAÇÃO EM ESTADO DE NATUREZA
49
CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA
67
CAPÍTULO IV
SELECÇÃO NATURAL
88
CAPÍTULO V
LEIS DA VARIAÇÃO
143
CAPÍTULO VI
DIFICULDADES ENFRENTADAS PELA TEORIA
184
CAPÍTULO VII
INSTINTO
223
CAPÍTULO VIII HIBRIDISMO 263
CAPÍTULO IX
SOBRE A INPERFEIÇÃO DO REGISTO GEOLÓGICO
302
CAPÍTULO X
SOBRE A SUCESSÃO GEOLÓGICA DOS SERES ORGÂNICOS
336
CAPÍTULO XI
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
372
CAPÍTULO XII
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA (continuação)
411
CAPÍTULO XIII
AFINIDADES MÚTUAS DOS SERES ORGÂNICOS. MORFOLOGIA. EMBRIOLOGIA. ÓRGÂOS RUDIMENTARES.
441
CAPÍTULO XIV
RECAPITULAÇÃO E CONCLUSÃO
491
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site