Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 4: CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA

Página 67
CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA

Relevância para a selecção natural - Sentido lato do termo - Poderes de proliferação geométrica - Crescimento numérico veloz de animais e plantas naturalizados - Natureza das restrições ao crescimento - Competição universal - Efeitos do clima - Protecção decorrente do número de indivíduos - Relações complexas de todos os animais e plantas na natureza - Máxima severidade da luta pela vida entre indivíduos e variedades da mesma espécie; frequentemente severa entre espécies do mesmo género - Relação de organismo a organismo como a mais importante das relações.

Antes de entrar na matéria deste capítulo, tenho de fazer algumas observações preliminares, para mostrar a relevância da luta pela existência para a selecção natural. Viu-se no último capítulo que entre os seres orgânicos em estado de natureza há alguma variabilidade individual; na verdade, tanto quanto sei isto nunca foi contestado. É-nos irrelevante que se designe uma multidão de formas duvidosas como «espécies» ou «subespécies» ou «variedades»; qual a categoria, por exemplo, que as 200 ou 300 formas duvidosas de plantas britânicas têm direito a manter, se for admitida a existência de quaisquer variedades bem marcadas. Mas a mera existência de variabilidade individual e de algumas variedades bem marcadas, embora necessária como fundamento do trabalho, pouco nos ajuda a compreender como surgem as espécies na natureza. Como se aperfeiçoaram todas aquelas subtis adaptações de uma parte da organização a outra parte, às condições de vida, e de um ser orgânico distinto a outro ser? Observamos mais nitidamente estas belas coadaptações no pica-pau e no visco branco; e apenas um pouco menos nitidamente no

<< Página Anterior

pág. 67 (Capítulo 4)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Origem das Espécies
Páginas: 524
Página atual: 67

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
INTRODUÇÃO 1
CAPÍTULO I
VARIAÇÃO SOB DOMESTICAÇÃO
7
CAPÍTULO II
VARIAÇÃO EM ESTADO DE NATUREZA
49
CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA
67
CAPÍTULO IV
SELECÇÃO NATURAL
88
CAPÍTULO V
LEIS DA VARIAÇÃO
143
CAPÍTULO VI
DIFICULDADES ENFRENTADAS PELA TEORIA
184
CAPÍTULO VII
INSTINTO
223
CAPÍTULO VIII HIBRIDISMO 263
CAPÍTULO IX
SOBRE A INPERFEIÇÃO DO REGISTO GEOLÓGICO
302
CAPÍTULO X
SOBRE A SUCESSÃO GEOLÓGICA DOS SERES ORGÂNICOS
336
CAPÍTULO XI
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
372
CAPÍTULO XII
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA (continuação)
411
CAPÍTULO XIII
AFINIDADES MÚTUAS DOS SERES ORGÂNICOS. MORFOLOGIA. EMBRIOLOGIA. ÓRGÂOS RUDIMENTARES.
441
CAPÍTULO XIV
RECAPITULAÇÃO E CONCLUSÃO
491
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site