Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 14: CAPÍTULO XIII
AFINIDADES MÚTUAS DOS SERES ORGÂNICOS. MORFOLOGIA. EMBRIOLOGIA. ÓRGÂOS RUDIMENTARES.

Página 442
Consequentemente, os grupos que hoje são vastos e que geralmente incluem muitas espécies dominantes, tendem a crescer indefinidamente em número. Procurei também mostrar que, pelo esforço dos descendentes variantes de cada espécie em ocupar tantos e tão variados espaços quanto possível na economia da natureza, os seus caracteres tendem constantemente a divergir. Esta conclusão foi sustentada pela observação da grande diversidade das formas de vida que, em qualquer área pequena entram na competição mais cerrada e pela observação de certos factos na naturalização.

Procurei também mostrar que há uma tendência constante nas formas que aumentam numericamente e divergem em carácter para suplantar e exterminar as formas precedentes, menos divergentes e menos aperfeiçoadas. Peço ao leitor que passe ao diagrama que ilustra a acção, como foi explicado, destes diversos princípios; e verá que daqui resulta inevitavelmente que os descendentes modificados que procedem de um progenitor se dividem em grupos subordinados a grupos. No diagrama, cada letra na linha superior pode representar um género que inclui diversas espécies; e todos os géneros nesta linha formam conjuntamente uma classe, pois todos descendem de um antecessor antigo mas inobservado, e, consequentemente, herdaram algo em comum. Mas os três géneros à esquerda têm, segundo este mesmo princípio, muito em comum e formam uma subfamília, distinta da que inclui os dois géneros seguintes à direita, que divergiriam de um antecessor comum na quinta etapa de descendência. Estes cinco géneros têm também muito em comum, embora menos; e formam uma família distinta da que inclui os três géneros ainda mais à direita, que divergiram num período mais temporão ainda. E todos estes géneros, descendentes de A, formam uma ordem distinta dos géneros descendentes de I.

<< Página Anterior

pág. 442 (Capítulo 14)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Origem das Espécies
Páginas: 524
Página atual: 442

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
INTRODUÇÃO 1
CAPÍTULO I
VARIAÇÃO SOB DOMESTICAÇÃO
7
CAPÍTULO II
VARIAÇÃO EM ESTADO DE NATUREZA
49
CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA
67
CAPÍTULO IV
SELECÇÃO NATURAL
88
CAPÍTULO V
LEIS DA VARIAÇÃO
143
CAPÍTULO VI
DIFICULDADES ENFRENTADAS PELA TEORIA
184
CAPÍTULO VII
INSTINTO
223
CAPÍTULO VIII HIBRIDISMO 263
CAPÍTULO IX
SOBRE A INPERFEIÇÃO DO REGISTO GEOLÓGICO
302
CAPÍTULO X
SOBRE A SUCESSÃO GEOLÓGICA DOS SERES ORGÂNICOS
336
CAPÍTULO XI
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
372
CAPÍTULO XII
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA (continuação)
411
CAPÍTULO XIII
AFINIDADES MÚTUAS DOS SERES ORGÂNICOS. MORFOLOGIA. EMBRIOLOGIA. ÓRGÂOS RUDIMENTARES.
441
CAPÍTULO XIV
RECAPITULAÇÃO E CONCLUSÃO
491
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site