Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 4: CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA

Página 68
mais humilde dos parasitas que se agarra aos pêlos de um quadrúpede ou às penas de uma ave; na estrutura do escaravelho que mergulha na água; na semente plumada arrastada pela brisa mais suave; resumindo, vemos adaptações belas em todo o lado e em cada parte do mundo orgânico.

Pode-se perguntar, mais uma vez, de que modo as variedades, a que chamei «espécies incipientes», se convertem por fim em genuínas espécies distintas, que na maioria dos casos diferem obviamente muito mais entre si do que as variedades da mesma espécie? Como surgem os grupos de espécies que constituem aquilo a que se chama «géneros distintos» e que diferem mais entre si do que as espécies do mesmo género? Todos estes resultados, como veremos mais detalhadamente no capítulo seguinte, seguem-se inevitavelmente da luta pela vida. Devido a esta luta pela vida, qualquer variação, por muito ligeira que seja e independentemente da causa que a produz, se for em maior ou menor grau vantajosa para um indivíduo de qualquer espécie, nas suas relações infinitamente complexas com outros seres orgânicos e com a natureza exterior, contribuirá para a preservação desse indivíduo e será geralmente herdada pelos seus descendentes. Estes terão, além disso, maior probabilidade de sobreviver, pois, dos muitos indivíduos de qualquer espécie que nascem periodicamente, só um pequeno número deles pode sobreviver. Usei o termo «selecção natural» para designar este princípio, segundo o qual cada ligeira variação, quando útil, é preservada, de maneira a salientar a sua relação com o poder selectivo do homem. Vimos que através da selecção o homem pode seguramente produzir grandes resultados e pode adaptar os seres orgânicos aos seus próprios fins, através da acumulação de variações ligeiras

<< Página Anterior

pág. 68 (Capítulo 4)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Origem das Espécies
Páginas: 524
Página atual: 68

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
INTRODUÇÃO 1
CAPÍTULO I
VARIAÇÃO SOB DOMESTICAÇÃO
7
CAPÍTULO II
VARIAÇÃO EM ESTADO DE NATUREZA
49
CAPÍTULO III
LUTA PELA EXISTÊNCIA
67
CAPÍTULO IV
SELECÇÃO NATURAL
88
CAPÍTULO V
LEIS DA VARIAÇÃO
143
CAPÍTULO VI
DIFICULDADES ENFRENTADAS PELA TEORIA
184
CAPÍTULO VII
INSTINTO
223
CAPÍTULO VIII HIBRIDISMO 263
CAPÍTULO IX
SOBRE A INPERFEIÇÃO DO REGISTO GEOLÓGICO
302
CAPÍTULO X
SOBRE A SUCESSÃO GEOLÓGICA DOS SERES ORGÂNICOS
336
CAPÍTULO XI
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
372
CAPÍTULO XII
DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA (continuação)
411
CAPÍTULO XIII
AFINIDADES MÚTUAS DOS SERES ORGÂNICOS. MORFOLOGIA. EMBRIOLOGIA. ÓRGÂOS RUDIMENTARES.
441
CAPÍTULO XIV
RECAPITULAÇÃO E CONCLUSÃO
491
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site