Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 29: VI

Página 308

Emma esperou Léon três quartos de hora. Por fim correu ao cartório e, perdida em todas as espécies de conjecturas, acusando-o de indiferença e acusando-se a si mesma de fraqueza, passou toda a tarde com a testa colada à vidraça.

Às duas horas estavam ainda sentados à mesa, um defronte do outro.

A grande sala ia-se esvaziando; o cano do fogão, com a forma duma palmeira, espalhava no tecto a sua copa dourada; e, perto deles, atrás do envidraçado, em pleno sol, gorgolejava um pequeno repuxo num tanque de mármore, onde, entre espargos e agriões, se estendiam três lagostas entorpecidas junto de uma pilha de codornizes amarradas e deitadas de lado.

Homais todo se deleitava. Apesar de se embriagar ainda mais com o luxo do que com a pinga, o vinho de Pomard, entretanto, excitava-lhe um pouco as faculdades e, quando apareceu a omeleta de rum, fez uma exposição de teorias imorais acerca das mulheres. O que acima de tudo o seduzia era o chiquismo. Adorava uma toilette elegante numa casa bem mobilada e, quanto às qualidades físicas, não detestava um bom pedaço.

Léon olhava desesperado para o relógio. O boticário bebia, comia, falava.

- O senhor deve passar uma vida de privações aqui em Ruão - disparou Homais inesperadamente. - Ainda assim, os seus amores não residem muito longe.

E, como o outro corava, continuou:

- Ora seja franco! É capaz de negar que em Yonville... ? O rapaz balbuciou qualquer coisa.

- Em casa da Sr. Bovary, fazia a corte...?

-A quem?

-À criada!

Homais não gracejava; mas, como a vaidade lhe suplantava a prudência, Léon, mal-grado seu, não se conteve sem protestar. Além disso, só gostava de morenas.

- Nisso tem razão - disse o farmacêutico -, são muito mais ardorosas.

E, inclinando-se para o ouvido do amigo, indicou-lhe os sintomas pelos quais se reconhecia que uma mulher era ardorosa.

<< Página Anterior

pág. 308 (Capítulo 29)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Madame Bovary
Páginas: 382
Página atual: 308

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
PRIMEIRA PARTE – I 1
II 12
III 22
IV 29
V 36
VI 40
VII 46
VIII 54
IX 66
SEGUNDA PARTE – I 79
II 90
III 97
IV 112
VI 126
VII 140
VIII 150
IX 175
X 186
XI 196
XII 209
XIII 224
XIV 234
XV 246
TERCEIRA PARTE – I 255
II 271
III 282
IV 285
V 289
VI 307
VII 325
VIII 339
IX 357
X 366
XI 373
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site