Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 34: XI

Página 373
XI

Charles, no dia seguinte, mandou regressar a pequenita. Ela perguntou pala mamão Responderam-lhe que estava ausente e que lhe traria brinquedos. Berthe falou nisso várias vezes; depois, com a continuação, deixou de pensar no assunto: A alegria daquela criança afligia Bovary e ainda tinha de suportar as intoleráveis consolações do farmacêutico.

Em breve começaram os problemas de dinheiro, com Lheureux novamente a incitar o seu amigo Vinçart, e Charles empenhou-se com somas exorbitantes; porque nunca quis consentir em vender o mínimo dos móveis que lhe tinham pertencido. A mãe exasperou-se com isso. Charles exaltou-se mais do que ela. Mudara completamente. A senhora abandonou a casa.

Então cada um tratou de se aproveitar. A Lampereur reclamou seis meses de lições, embora Emma nunca tivesse tomado uma única (apesar da factura liquidada que mostrara a Bovary): era uma convenção entre as duas; o alugador de livros reclamou três anos de assinatura; a Tia Rolet reclamou o porte de uma vintena de cartas; e, quando Charles lhe pediu explicações, teve a delicadeza de responder:

- Ah! Não sei de nada! Eram por causa dos seus assuntos.

De cada vez que pagava uma dívida, Charles acreditava que já não houvesse mais. Surgiam outras continuamente.

Exigiu pagamentos que estavam em atraso por visitas a doentes. Mostraram-lhe as cartas que a mulher escrevera. Ainda foi preciso pedir desculpas.

Félicité usava agora os vestidos da patroa; nem todos, porque ele ainda guardara alguns e ia vê-los ao seu gabinete de toilette, onde se fechava para o efeito; ela tinha mais ou menos a mesma estatura que Emma e muitas vezes Charles, ao avistá-la por trás, tinha uma ilusão e exclamava:

- Espera! Fica!

Mas, pelo Pentecostes, ela abalou de Yonville, raptada por Théodore, roubando tudo quanto restava do guarda-roupa.

<< Página Anterior

pág. 373 (Capítulo 34)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Madame Bovary
Páginas: 382
Página atual: 373

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
PRIMEIRA PARTE – I 1
II 12
III 22
IV 29
V 36
VI 40
VII 46
VIII 54
IX 66
SEGUNDA PARTE – I 79
II 90
III 97
IV 112
VI 126
VII 140
VIII 150
IX 175
X 186
XI 196
XII 209
XIII 224
XIV 234
XV 246
TERCEIRA PARTE – I 255
II 271
III 282
IV 285
V 289
VI 307
VII 325
VIII 339
IX 357
X 366
XI 373
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site