Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 17: CAPÍTULO 18

Página 181
CAPÍTULO 18

Desde as quatro horas da tarde desse dia, começara a juntar-se à porta da herdade um grande número de pessoas de todas as idades e sexos, atraídas ali por essa curiosidade tão peculiar, principalmente às pequenas povoações.

A notícia do casamento de Fernando com a Rosa do Adro espalhara-se tão rapidamente por toda a aldeia, que dentro em poucos momentos não havia nela uma só pessoa que não soubesse deste repentino sucesso. E a maior parte dessa gente, ávida e curiosa de assuntos que dessem largo pasto às suas conversas, dirigiu-se desde logo, em tropel, para a casa do pai de Fernando, a fim de indagar os motivos de tão inesperado acontecimento.

Cada criado que aparecia no limiar do portão era logo cercado e martirizado com perguntas de uns e outros, às quais respondiam, ou por ignorância, ou por qualquer recomendação que lhes fosse feita a tal respeito:

- Nada sabemos; foi coisa deliberada hoje pela manhã lá em segredo. O que apenas podemos afiançar é que tudo isso se faz a pedido do filho do nosso amo.

Estas vagas respostas deixavam a multidão perplexa e cada vez mais ansiosa, e afinal cada um traduzia o facto ao seu modo e dava-lhe uma cor mais ou menos verosímil.

Enquanto, porém, a multidão se acotovelava à porta da herdade, enchendo o espaço desse vozear surdo, que se assemelha ao embalar das ondas no mar largo, no aposento do doente passava-se uma outra cena bem diversa.

Ali reinava um silêncio tumular, e quase que nem sequer se pressentia o respirar das pessoas que cercavam Fernando. Este permanecia meio recostado sobre o leito e com os olhos ansiosamente fitos na porta pela qual devia entrar a sua futura esposa, parecendo que cada momento que decorria era para ele um século de angústias e mortificações.

<< Página Anterior

pág. 181 (Capítulo 17)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Rosa do Adro
Páginas: 202
Página atual: 181

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
CAPÍTULO 1 1
CAPÍTULO 2 6
CAPÍTULO 3 9
CAPÍTULO 4 12
CAPÍTULO 5 20
CAPÍTULO 6 31
CAPÍTULO 7 45
CAPÍTULO 8 59
CAPÍTULO 9 67
CAPÍTULO 10 84
CAPÍTULO 11 91
CAPÍTULO 12 97
CAPÍTULO 13 117
CAPÍTULO 15 140
CAPÍTULO 16 157
CAPÍTULO 17 168
CAPÍTULO 18 181
CAPÍTULO 19 193
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site