Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 10: CAPÍTULO 10

Página 84
CAPÍTULO 10

Iam decorridos trinta e tantos dias depois dos sucessos que deixamos descritos.

Os dois jovens continuavam a amar-se com todas as loucuras e enlevos de uma paixão sempre crescente, e as entrevistas noturnas que nem uma só vez se interromperam, contribuíram em grande parte para o desenvolvimento desse amor que refervia de hora para hora naqueles dois corações anelantes de felicidade e de vivas sensações.

Na aldeia já se não falava nesses amores, porque de há muito ninguém vira mais Fernando falar com a bela rapariga, e esta, pela sua parte, empregava todos os meios para fazer acreditar que tais relações tinham acabado. O que ainda alguém notava era o recato e recolhimento em que a bela aldeã vivia, desprezando sempre quaisquer convites que lhe faziam para ir a este ou àquele divertimento, mas todos atribuíam isso ao seu génio altivo e vaidoso.

Eram, pois, completamente ignoradas na aldeia as relações de Fernando com a Rosa do Adro, e só uma pessoa sabia delas, mas essa guardava o maior segredo e discrição a tal respeito.

Essa pessoa era o jovem do padre, que, firme no seu propósito, seguia passo a passo todas as minudências e peripécias dessas relações.

Todas as noites saía de casa do seu amo sem ser visto, ia colocar-se, à hora determinada, umas vezes atrás de uma parede, outras oculto pela sombra das árvores do caminho que conduzia ao pinhal que ficava na retaguarda da habitação de Rosa, e aí esperava a passagem de Fernando. Seguia-o depois a uma certa distância com todas as precauções para não ser pressentido, e, chegado ali, ia ocultar-se por detrás do muro que estava próximo do local em que os dois amantes costumavam ter as suas entrevistas, não perdendo a mais insignificante palavra da conversa que havia entre eles.

<< Página Anterior

pág. 84 (Capítulo 10)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro A Rosa do Adro
Páginas: 202
Página atual: 84

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
CAPÍTULO 1 1
CAPÍTULO 2 6
CAPÍTULO 3 9
CAPÍTULO 4 12
CAPÍTULO 5 20
CAPÍTULO 6 31
CAPÍTULO 7 45
CAPÍTULO 8 59
CAPÍTULO 9 67
CAPÍTULO 10 84
CAPÍTULO 11 91
CAPÍTULO 12 97
CAPÍTULO 13 117
CAPÍTULO 15 140
CAPÍTULO 16 157
CAPÍTULO 17 168
CAPÍTULO 18 181
CAPÍTULO 19 193
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site