Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 16: Capítulo 16

Página 122
QUINZE

O que vem a seguir é o mito do nascimento de um novo deus-sol, filho de uma grande deusa-sol perseguida pelo grande dragão vermelho. Este mito é colocado no Apocalipse como grande pedra central e representa o nascimento do Messias. Mesmo os comenta dores ortodoxos admitem que nada possui de cristão, e quase nada possui de judaico. Chegamos a uma camada de rocha razoavelmente pagã, e não podemos de imediato ver quantos revestimentos judaicos e judaico-cristãos há nas outras partes do livro.

Porém, este mito pagão do nascimento - tal como o outro trecho de mito puro, relativo aos quatro cavaleiros -, é muito curto.

«E aparecem, outrossim, um grande sinal no céu; uma mulher, vestida de sol, que tinha a lua debaixo dos seus pés e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça; e estando grávida, clamava com dores de parto, e sofria tormentos por dar à luz.

«E foi visto outro sinal no céu; e eis aqui um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e, nas suas cabeças, sete diademas; e a cauda dele arrastava a terça parte das estrelas do céu, e as fez cair sobre a terra. E o dragão parou diante da mulher que estava para dar à luz, a fim de tragar o seu filho, depois que ela o tivesse dado à luz.

<< Página Anterior

pág. 122 (Capítulo 16)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Apocalipse
Páginas: 180
Página atual: 122

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 4
Capítulo 3 14
Capítulo 4 18
Capítulo 5 27
Capítulo 6 33
Capítulo 7 46
Capítulo 8 69
Capítulo 9 75
Capítulo 10 77
Capítulo 11 89
Capítulo 12 99
Capítulo 13 102
Capítulo 14 107
Capítulo 15 112
Capítulo 16 122
Capítulo 17 128
Capítulo 18 143
Capítulo 19 149
Capítulo 20 155
Capítulo 21 160
Capítulo 22 161
Capítulo 23 162
Capítulo 24 170
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site