Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 21: XXI - O BIVAQUE DO IMPERADOR

Página 222
XXI - O BIVAQUE DO IMPERADOR

Os recursos dos Senhores de Simeuse, de Hauteserre e de Michu foram os primeiros processos que o tribunal de apelação teve de apreciar. A sentença foi, portanto, felizmente retardada pelas cerimónias da instalação do referido tribunal.

Pelos fins de Setembro, após três audiências em que foram ouvidas as alegações da defesa e o discurso do procurador geral Merlin, que pessoalmente usou da palavra, o recurso foi rejeitado. O tribunal imperial de Paris fora instituído, o Senhor de Granville havia sido nomeado substituto do procurador geral nesse tribunal, e como o departamento de Aube se encontrava na jurisdição dele, foi-lhe possível fazer algumas démarches, no seio do seu ministério, a favor dos condenados; assediou Cambacérês, seu protector; Bordin e o Senhor de Chargeboeuf apresentaram-se no dia seguinte ao da rejeição do recurso, na sua residência do Marais, onde o foram encontrar em plena lua-de-mel, pois se casara entretanto: Apesar de todas as coisas que tinham acontecido na vida do seu antigo advogado, o Senhor de Chargeboeuf viu bem, na aflição do jovem substituto, que ele se mantinha fiel aos seus clientes. Certos advogados, verdadeiros artistas da profissão, fazem das suas causas amantes. O caso é raro; não confiem nisso. Logo que os seus antigos clientes se encontraram sozinhos com ele no gabinete, o Senhor de Granville disse ao marquês:

- Não estive à espera da vossa visita; já fiz uso de todo o meu crédito. Não procureis salvar Michu; assim não conseguireis o perdão dos Senhores de Simeuse. Tem de haver uma vítima.

- Meu Deus! - exclamou Bordin, mostrando ao jovem magistrado os três recursos de indulto -; poderei eu tomar a responsabilidade de suprimir o apelo do vosso cliente? Queimar este papel é cortar-lhe a cabeça.

<< Página Anterior

pág. 222 (Capítulo 21)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Um Caso Tenebroso
Páginas: 249
Página atual: 222

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
I - OS JUDAS 1
II – PROJECTO DE UM CRIME 16
III - AS MALÍCIAS DE MALIN 25
IV - FORA A MÁSCARA! 35
V – LAURENCE DE CINQ-CYGNE 43
VI - FISIONOMIAS REALISTAS NO TEMPO DO CONSULADO 54
VII - A VISITA DOMICILIARIA 67
VIII-UM RECANTO DA FLORESTA 78
IX - DESDITAS DA POLÍCIA 90
X - LAURENCE E CORENTIN 104
XI - DESFORRA DA POLÍCIA 117
XII - UM DUPLO E MESMO AMOR 128
XIII – UM BOM CONSELHO 140
XIV -AS CIRCUNSTÂNCIAS DO CASO 151
XV - A JUSTIÇA SEGUNDO O CÓDIGO DE BRUMÁRIO DO ANO IV 159
XVI - AS DETENÇÕES 168
XVII - DÚVIDAS DOS DEFENSORES OFICIOSOS 178
XVIII – MARTA COMPROMETIDA 190
XIX-OS DEBATES 196
XX – HORRÍVEL PERIPÉCIA 212
XXI - O BIVAQUE DO IMPERADOR 222
XXII-DISSIPAM-SE AS TREVAS 236
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site