Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 3: III - AS MALÍCIAS DE MALIN

Página 25
III - AS MALÍCIAS DE MALIN

A cólera que o Senhor Marion provocava em Michu tinha fundamentos sérios, mas havia-se transferido para um homem bem mais criminoso a seus olhos, para Malin, cujos segredos se haviam desvendado à vista do administrador, em melhor posição do que ninguém para apreciar o comportamento do conselheiro de Estado. O sogro de Michu, politicamente falando, gozara da confiança de Malin, nomeado representante de Aube na Convenção, graças à interferência de Grévin.

Talvez não seja de todo inútil contar aqui as circunstâncias que colocaram os Simeuse e os Cinq-Cygne na presença de Malin, e que vieram -a pesar no destino dos dois gémeos e da Menina de Cinq-Cygne, se é que não mais ainda no de Marta e de Michu. Em Troyes o solar de Cinq-Cygne fica fronteiro ao de Simeuse. Quando a populaça, desenfreada, graças à intervenção de mãos tão hábeis quanto prudentes, saqueou o solar de Simeuse, uma vez que, o marquês e a marquesa eram acusados de manter correspondência com os inimigos, e os entregou aos guardas nacionais, que os conduziram para a prisão, a turba, consequente, gritou: «A Cinq-Cygne!» Não podia crer que os Cinq-Cygne estivessem inocentes do crime dos Simeuse.

O digno e corajoso marquês de Simeuse, para salvar os seus dois filhos, de dezoito anos, capazes de lhe comprometerem a coragem, confiara-os, alguns instantes antes da, tempestade, a sua tia, a condessa de Cinq-Cygne. Dois criados dedicados à casa de Simeuse conservavam fechados os dois rapazes. O velho, que não queria que o seu nome acabasse com ele, recomendara que escondessem tudo dos seus filhos, em caso de desgraças extremas. Laurence, então com doze anos, era querida dos dois irmãos, a quem muito queria pelo seu lado.

Como acontece com muitos gémeos, os dois Simeuse pareciam-se tanto que por muito tempo a mãe os vestia de cores diferentes para melhor os distinguir.

<< Página Anterior

pág. 25 (Capítulo 3)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Um Caso Tenebroso
Páginas: 249
Página atual: 25

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
I - OS JUDAS 1
II – PROJECTO DE UM CRIME 16
III - AS MALÍCIAS DE MALIN 25
IV - FORA A MÁSCARA! 35
V – LAURENCE DE CINQ-CYGNE 43
VI - FISIONOMIAS REALISTAS NO TEMPO DO CONSULADO 54
VII - A VISITA DOMICILIARIA 67
VIII-UM RECANTO DA FLORESTA 78
IX - DESDITAS DA POLÍCIA 90
X - LAURENCE E CORENTIN 104
XI - DESFORRA DA POLÍCIA 117
XII - UM DUPLO E MESMO AMOR 128
XIII – UM BOM CONSELHO 140
XIV -AS CIRCUNSTÂNCIAS DO CASO 151
XV - A JUSTIÇA SEGUNDO O CÓDIGO DE BRUMÁRIO DO ANO IV 159
XVI - AS DETENÇÕES 168
XVII - DÚVIDAS DOS DEFENSORES OFICIOSOS 178
XVIII – MARTA COMPROMETIDA 190
XIX-OS DEBATES 196
XX – HORRÍVEL PERIPÉCIA 212
XXI - O BIVAQUE DO IMPERADOR 222
XXII-DISSIPAM-SE AS TREVAS 236
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site