Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 14: XIV -AS CIRCUNSTÂNCIAS DO CASO

Página 151
XIV -AS CIRCUNSTÂNCIAS DO CASO

MICHU - que logo tratou de vender as suas terras a Beauvisage, rendeiro de Bellache - não pôde receber o seu dinheiro antes de uns vinte dias. Portanto, um mês depois da visita do marquês, Laurence, que informara os seus dois primos da existência da sua fortuna, propôs-lhes aproveitarem o dia da Serração da Velha para retirarem o milhão enterrado na floresta. A grande quantidade de neve que caíra impedira até então Michu de recolher esse tesouro; mas ele preferia fazer essa operação na companhia dos amos. Michu estava realmente disposto a sair daquela terra, pois tinha medo de si próprio.

- Malin acaba de chegar bruscamente a Gondreville, sem que se saiba porquê - disse ele à ama - e eu não resisto a pôr Gondreville em venda por causa da morte do proprietário. Considero-me culpado de não ter sabido obedecer às minhas inspirações.

- Por que razão terá ele saído de Paris em pleno Inverno?

- Toda Arcis fala nisso -respondeu Michu-; deixou a família em Paris, veio apenas acompanhado do criado de quarto. O Senhor Grévin, o notário de Arcis, a Senhora Marion, a mulher do recebedor geral de Aube e cunhado de Marion, que emprestou o nome a Malin, fazem-lhe companhia.

Laurence considerou a Serração da Velha como um excelente dia, pois era fácil desembaraçarem-se dos importunos, As mascaradas atraíam Os camponeses à cidade, e não estava ninguém no campo. Mas a escolha do dia foi precisamente servir a fatalidade, coisa frequente em não poucos casos criminais. O azar fez Os seus cálculos com a mesma habilidade que a Menina de Cinq-Cygne pusera nos seus. A aflição do Senhor e da Senhora de Hauteserre devia ser tamanha caso viessem a saber que estavam um milhão e dez mil francos em oiro num castelo situado na orla da floresta que os jovens de Hauteserre, consultados, opinaram que nada se lhes dissesse.

<< Página Anterior

pág. 151 (Capítulo 14)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Um Caso Tenebroso
Páginas: 249
Página atual: 151

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
I - OS JUDAS 1
II – PROJECTO DE UM CRIME 16
III - AS MALÍCIAS DE MALIN 25
IV - FORA A MÁSCARA! 35
V – LAURENCE DE CINQ-CYGNE 43
VI - FISIONOMIAS REALISTAS NO TEMPO DO CONSULADO 54
VII - A VISITA DOMICILIARIA 67
VIII-UM RECANTO DA FLORESTA 78
IX - DESDITAS DA POLÍCIA 90
X - LAURENCE E CORENTIN 104
XI - DESFORRA DA POLÍCIA 117
XII - UM DUPLO E MESMO AMOR 128
XIII – UM BOM CONSELHO 140
XIV -AS CIRCUNSTÂNCIAS DO CASO 151
XV - A JUSTIÇA SEGUNDO O CÓDIGO DE BRUMÁRIO DO ANO IV 159
XVI - AS DETENÇÕES 168
XVII - DÚVIDAS DOS DEFENSORES OFICIOSOS 178
XVIII – MARTA COMPROMETIDA 190
XIX-OS DEBATES 196
XX – HORRÍVEL PERIPÉCIA 212
XXI - O BIVAQUE DO IMPERADOR 222
XXII-DISSIPAM-SE AS TREVAS 236
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site