Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 8: Capítulo 8

Página 54

Corri para junto de Mrs. Grose logo que tal me foi possível, e nem posso descrever os tormentos que senti até conseguir estar a sós com ela. Contudo, ainda posso ouvir o grito que soltei quando me precipitei para os seus braços:

— Eles sabem! Céus, isto é demasiado monstruoso! Eles sabem! Eles sabem!

— Mas que é que. . . ? — Quando a mulher me abraçou, foi-me possível sentir a incredulidade que dela se apossara.

— Aquilo que nós sabemos.. . e sabe Deus que mais! — Depois, soltando-me dos seus braços, expliquei, talvez de um modo demasiado coerente, até mesmo para mim. — Há cerca de duas horas, no jardim... — amua grandes dificuldades em falar. — A Flora viu!

Mrs. Grose escutou estas palavras com a expressão de quem levara um murro no estômago.

— Foi ela que lhe disse? —i nquiriu, of egante.

— Não pronunciou uma só palavra... É precisamente isso que é terrível. Guardou tudo para ela! Mas aquela criança tem apenas oito anos. Oito anos! — Continuava a ter grandes dificuldades em expressar o espanto que me dominava.

Como seria de esperar, Mrs. Grose abriu ainda mais a boca.

— Nesse caso, como é que sabe?

— Porque estava lá... Vi tudo com os meus próprios olhos. Ela apercebeu-se da presença.

— Ou seja, apercebeu-se da presença dele?

— Não. . . da presença dela! —A avaliar pelo efeito provocado por estas palavras no rosto da minha companheira, soube que acabara de revelar algo de tão extraordinário ao ponto de parecer inacreditável.—Era outra pessoa. Sim, desta vez era outra pessoa. Mas nem mesmo isso a impedia de ser igualmente pavorosa e perversa. Era uma mulher vestida de preto, pálida e medonha. E depois... depois havia aquele rosto! Mesmo do outro lado do lago. Eu já lá estava com a Flora... muito sossegadas. Foi então que ela apareceu.

<< Página Anterior

pág. 54 (Capítulo 8)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Calafrio
Páginas: 164
Página atual: 54

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 10
Capítulo 3 16
Capítulo 4 24
Capítulo 5 31
Capítulo 6 38
Capítulo 7 45
Capítulo 8 54
Capítulo 9 61
Capítulo 10 68
Capítulo 11 74
Capítulo 12 80
Capítulo 13 85
Capítulo 14 90
Capítulo 15 96
Capítulo 16 102
Capítulo 17 106
Capítulo 18 111
Capítulo 19 118
Capítulo 20 123
Capítulo 21 128
Capítulo 22 134
Capítulo 23 145
Capítulo 24 150
Capítulo 25 156
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site