Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 13: Capítulo 13

Página 65

Estava tomada a decisão de Tom. Sentia-se triste e sem esperanças. Era perseguido, estava sem amigos, disse para consigo, ninguém o estimava; talvez, quando se apercebessem daquilo a que o tinham levado, tivessem pena; tentara proceder bem e suportar tudo, mas não o tinham deixado; visto que só os satisfazia verem-se livres dele, assim seria. Podiam censurá-lo à vontade. Tinha a certeza de que o fariam, mas que direito tinha ele de queixar-se? Sim, forçavam-no realmente a levar uma vida de crime. Não tinha por onde escolher.

Nesta altura, já ia muito longe de Meadow Lane, e mal ouviu o sino da escola tocar para a entrada. Soluçava agora ao pensar que nunca, nunca mais ouviria aquele velho som tão seu conhecido; era muito duro, mas a isso o obrigavam e, uma vez que o atiravam assim para aquele destino, só tinha que se submeter. Perdoava-lhes, no entanto. Aqui, os soluços tornaram-se maiores e mais frequentes.

Precisamente neste momento encontrou o seu amigo dilecto, Joe Harper, em cujo olhar se via bem que tomara uma grave e triste decisão. Estavam ali muito simplesmente duas almas com um único pensamento. Tom, limpando os olhos com a manga, começou a gaguejar umas palavras acerca da sua resolução de escapar aos maus tratos que lhe davam na aldeia, fugindo para longe, para lugares de onde não voltaria; acabou por pedir a Joe que o não esquecesse, mas em breve percebeu que Joe tinha vindo atrás dele com a mesma intenção. A mãe dera-lhe uma sova por ter comido umas natas como nunca provara e cujo gosto não conhecia; era evidente que estava farta dele e queria afastá-lo de casa; ora, sendo assim, nada mais lhe restava senão submeter-se. Desejava que ela fosse feliz e nunca viesse a arrepender-se de ter atirado o seu pobre filho para o mundo, para sofrer e morrer.

Enquanto os dois rapazes iam andando e lamentando-se, fizeram nova combinação para se conservarem ao lado um do outro como irmãos, e nunca se separarem, até que a morte os libertasse dos seus trabalhos. Então começaram a fazer projectos. Joe queria viver como um eremita, comendo umas côdeas numa caverna longínqua, e morrer um dia, de frio, de fome e de desgosto, mas, depois de ouvir Tom, concordou que era muito mais vantajosa a vida de crime, e condescendeu em ser pirata.

<< Página Anterior

pág. 65 (Capítulo 13)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro As Aventuras de Tom Sawyer
Páginas: 174
Página atual: 65

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 7
Capítulo 3 12
Capítulo 4 17
Capítulo 5 25
Capítulo 6 30
Capítulo 7 38
Capítulo 8 43
Capítulo 9 47
Capítulo 10 52
Capítulo 11 57
Capítulo 12 61
Capítulo 13 65
Capítulo 14 71
Capítulo 15 76
Capítulo 16 80
Capítulo 17 88
Capítulo 18 91
Capítulo 19 98
Capítulo 20 100
Capítulo 21 104
Capítulo 22 110
Capítulo 23 113
Capítulo 24 118
Capítulo 25 119
Capítulo 26 124
Capítulo 27 131
Capítulo 28 133
Capítulo 29 136
Capítulo 30 142
Capítulo 31 149
Capítulo 32 157
Capítulo 33 160
Capítulo 34 168
Capítulo 35 170
Capítulo 36 174
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site