Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar

Capítulo 26: Capítulo 26

Página 124

No dia seguinte, perto do meio-dia, os rapazes chegaram junto da árvore seca, para levarem as ferramentas. Tom estava ansioso por chegar à casa assombrada, e Huck também, mas, de repente, disse:

- Olha lá, Tom. Sabes que dia é hoje?

Mentalmente, Tom fez conta aos dias da semana, e logo, fitando o outro com ar admirado:

- Nem tal coisa me passou pela ideia.

- Eu também só agora me lembrei que é sexta-feira.

- É preciso termos cuidado, Huck. Podíamos meter-nos num sarilho, se começássemos um trabalho destes à sexta-feira.

- Podíamos! Metíamo-nos, com certeza. Há dias felizes, mas sexta-feira não o é, por certo.

- Isso sabe-se. Calculo que não foste tu quem o descobriu isso.

- Também não disse que tinha sido, ou disse? Mas, além de ser sexta-feira, tive um sonho terrível esta noite. Sonhei com ratos.

- Sério? São trabalhos. Estavam à bulha?

-Não.

- Ainda bem, Huck. Porque, se não estavam à bulha, é sinal que há trabalhos à nossa volta, e, assim, o que temos que fazer é acautelarmo-nos para nos livrarmos deles. Pomos esta coisa de parte por hoje e vamos brincar. Conheces Robin Hood, Huck?

- Não. Quem é Robin Hood?

- Era um dos maiores homens que existiram em Inglaterra. Era o melhor. Era um ladrão.

- Quem me dera ser ele! A quem é que ele roubava?

- Xerifes, bispos, gente rica, reis e outros assim. Mas nunca fazia mal aos pobres. Estimava-os e dividia com eles igualmente o produto dos seus roubos.

- Devia ser um companheirão!

- E era, sim, Huck. Era o homem mais nobre que havia. Agora já não há disso, garanto. Com uma das mãos atrás das costas era capaz de dar uma sova a qualquer outro homem; com o seu arco de teixo era capaz de furar uma moeda de cobre a milha e meia de distância.

- Que é um arco de teixo?

- Não sei. Deve ser uma certa qualidade de arco. E quando só acertava na moeda, gritava e praguejava. Vamos brincar ao Robin Hood? É tão divertido! Eu ensino-te.

- Está combinado.

Brincaram toda a tarde ao Robin Hood, deitando de vez em quando um olhar de cobiça para a casa assombrada e fazendo uma ou outra observação acerca dos projectos do dia seguinte e da possibilidade de os realizarem.

Quando o Sol começou a descer, puseram-se a caminho de casa, através das sombras das árvores, e em breve desapareceram pela floresta do monte Cardiff.

<< Página Anterior

pág. 124 (Capítulo 26)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro As Aventuras de Tom Sawyer
Páginas: 174
Página atual: 124

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 7
Capítulo 3 12
Capítulo 4 17
Capítulo 5 25
Capítulo 6 30
Capítulo 7 38
Capítulo 8 43
Capítulo 9 47
Capítulo 10 52
Capítulo 11 57
Capítulo 12 61
Capítulo 13 65
Capítulo 14 71
Capítulo 15 76
Capítulo 16 80
Capítulo 17 88
Capítulo 18 91
Capítulo 19 98
Capítulo 20 100
Capítulo 21 104
Capítulo 22 110
Capítulo 23 113
Capítulo 24 118
Capítulo 25 119
Capítulo 26 124
Capítulo 27 131
Capítulo 28 133
Capítulo 29 136
Capítulo 30 142
Capítulo 31 149
Capítulo 32 157
Capítulo 33 160
Capítulo 34 168
Capítulo 35 170
Capítulo 36 174
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site