Procurar livros:
    Procurar
Procurar livro na nossa biblioteca
 
 
Procurar autor
   
Procura por autor
 
marcador
  • Sem marcador definido
Marcador
 
 
 
Navegar
> > > Página 121

Capítulo 24: Capítulo 24

Página 121

Enquanto prosseguia a batalha pela disputa do corpo de Pátroclo, o veloz mensageiro Antíloco chegava à presença de Aquiles. Encontrou-o muito preocupado junto dos navios e entre lágrimas transmitiu-lhe a triste noticia:

— Nobre filho de Peleu, é triste e desoladora a mensagem que te trago! Pátroclo foi morto em combate e Heitor despojou-o das suas armas. Agora, lutam todos em torno do seu cadáver.

Ao ouvir tais palavras, Aquiles atirou-se ao chão e, apanhando a terra com as mãos, atirou-a para a cabeça e arrancou os cabelos em desespero. Abundantes lágrimas inundavam-lhe a face e não cessava de suspirar e lamentar-se profundamente. As escravas, aproximando-se, também fizeram coro com sua dor. Antíloco, por sua vez, chorava e falava com Aquiles, tentando consolá-lo.

Mas Tétis, a mãe do herói, ouviu lá no fundo do mar as suas lamentações e acudiu pressurosa:

— Meu filho, porque choras? Conta-me o que se passou. Não obtiveste de Júpiter que os gregos, privados de teu auxilio, fossem rechaçados para os seus próprios navios e, sofrendo terríveis perdas, muita falta sentissem de ti?

Soltando profundo suspiro, Aquiles respondeu:

— É verdade, minha mãe, que tudo isso me conseguiste. Mas de que adianta isso, se o meu querido amigo Pátroclo morreu nesse combate; ele a quem eu estimava mais do que a todos os outros e tanto quanto a mim mesmo? Foi Heitor quem o matou e o despojou depois das suas armas, aquelas armas prodigiosas que os deuses tinham dado a meu pai. Quanto a mim, não desejo mais viver senão para me vingar. Heitor há-de pagar com a vida a morte de Pátroclo!

<< Página Anterior

pág. 121 (Capítulo 24)

Página Seguinte >>

anúncio
Capa do livro Ilíada
Páginas: 178
Página atual: 121

 
   
 
   
Os capítulos deste livro:
Capítulo 1 1
Capítulo 2 4
Capítulo 3 15
Capítulo 4 18
Capítulo 5 25
Capítulo 6 31
Capítulo 7 37
Capítulo 8 41
Capítulo 9 44
Capítulo 10 49
Capítulo 11 56
Capítulo 12 64
Capítulo 13 67
Capítulo 14 70
Capítulo 15 73
Capítulo 16 80
Capítulo 17 86
Capítulo 18 90
Capítulo 19 96
Capítulo 20 101
Capítulo 21 105
Capítulo 22 112
Capítulo 23 115
Capítulo 24 121
Capítulo 25 124
Capítulo 26 127
Capítulo 27 133
Capítulo 28 139
Capítulo 29 145
Capítulo 30 149
Capítulo 31 156
Capítulo 32 159
Capítulo 33 165
Capítulo 34 175
Links Relacionados
 
Artigos: Porque lemos literatura | O Ensaio na literatura | O primeiro texto da língua portuguesa 
© 2010 Ciberforma Informática. Todos os direitos reservados. Contacto | Política de privacidade | Mapa do Site